A cura vem do mar

Crítica do espetáculo “Kalunga Grande” feita por Nayla Aauri

Mulheres periféricas lançam manifesto pelo fim da violência de gênero

Uma articulação entre 18 iniciativas lideradas por mulheres periféricas, entre coletivos e organizações, lança nesta quinta-feira (03/10) um manifesto pelo fim da violência de gênero. A Periferia em Movimento também assina a carta.

Matriarcas: Filha do distrito mais negro de SP, Maria Afonso construiu “cidade branca” mas desfrutou pouco

Com 57% de negros entre a população de 146 mil habitantes, Parelheiros é o distrito mais negro da cidade de São Paulo. E aqui, na zona rural paulistana, dona Maria Afonso Garcia passou boa parte da vida morando e trabalhando ainda criança. Em olarias de tijolos, o serviço começava à 01h30 da madrugada e ia até as 18h30. Nos fornos de carvão da região, a jornada era das 06h às 18h.

No 7º dia da morte de Ágatha, movimentos protestam pela vida e contra genocídio negro

Formada por diversas entidades do movimento negro pelo País, a Coalização Negra por Direitos convoca para as 18h desta sexta-feira (27/09), na avenida Paulista, em São Paulo, uma manifestação pelo direito à vida e contra o genocídio negro praticado pelo Estado brasileiro.

Famílias periféricas: muito além do comercial de margarina

A nova reportagem da Periferia em Movimento, que faz parte do projeto #NoCentroDaPauta, aborda a constituição de diferentes famílias nas periferias de São Paulo.

Racismo contra adolescente no Ricoy: “Levar pra uma sala e torturar é muito comum na quebrada”

Protesto acontece no sábado (07 de setembro)

Sonhos de Juventude: a crença no futuro em meio ao presente de dúvidas

Reportagem que faz parte do projeto #NoCentroDaPauta

Matriarcas: No bairro das mães solo, Marina Amparo adotou 58 crianças para dar uma família a elas

Conheça a história de Dona Marina Amparo

#NossoBonde: “Tá na hora de conversar com as pessoas no miudinho”

O produtor cultural e militante antirracista Kleber Luís faz parte do #NossoBonde

Contra Bolsonaro e Sérgio Moro, movimento negro brasileiro vai à Jamaica. Saiba por quê

Organizações do movimento negro brasileiro participam nesta quinta-feira (09 de maio) de uma audiência com a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH)

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: