De Trump a Temer, o que aproxima as periferias negras norte-americanas às brasileiras? Em entrevista, Patricia Hill Collins fala sobre a formação do Black Lives Matter, sobre políticas públicas para mulheres negras, a nova onda de movimentos sociais e o papel do jornalismo cidadão no cenário político econômico e social atual

Nós do Periferia em Movimento, do Alma Preta e da Rede de Cursinhos Emancipa, conversamos com Patrícia Hill Collins sobre como as vivências de movimentos feministas negros/periféricos dos Brasil e EUA podem se complementar. Confira!

Prefeitura de SP deve colocar nas ruas 250 famílias do Grajaú nesta quinta-feira Moradores convocam resistência para a reintegração de posse, marcada para as 6h do dia 09/02 no Jardim Lucélia, em terreno do antigo Clube Aristocrata

Moradores convocam resistência para a reintegração de posse, marcada para as 6h do dia 09/02, no Jardim Lucélia, de terreno do antigo Clube Aristocrata

Um ano de fortalecimento da consciência negra no Grajaú Ser negra em Cuba, se descobrir negra ao sair da África, se reconhecer negra na "democracia racial": confira como foi o primeiro aniversário da Roda de Estudos Afro-brasileiros do Centro de Arte e Promoção Social do Grajaú

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Ser negra em Cuba, se descobrir negra ao sair da África, se reconhecer negra na “democracia racial”: confira como foi o primeiro aniversário da Roda de Estudos Afro-brasileiros do Centro de Arte e Promoção Social do Grajaú

“Nossos passos vêm de longe”: Mulheres negras e as oportunidades contra a maquinaria da opressão Moradora do Extremo Sul de São Paulo, mulher negra e periférica, a pesquisadora e militante Regiane Soares escreve sobre o aniversário da histórica Marcha das Mulheres Negras e as motivações para seguir caminhando

Moradora do Extremo Sul de São Paulo, mulher negra e periférica, a pesquisadora e militante Regiane Soares escreve sobre o aniversário da histórica Marcha das Mulheres Negras e as motivações para seguir caminhando

Manifestantes ocupam SSP, secretário foge e grupos prometem novo ato contra genocídio Durante ato em homenagem a cinco jovens negros assassinados na Zona Leste, movimentos ocuparam saguão da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e exigiram presença do secretário. Mágino Alves apareceu, prometeu falar com manifestantes mas usou escolta policial para escapar da multidão. Novo ato acontece quinta que vem, dia 17

(Foto: Edu Graja)

Durante ato em homenagem a cinco jovens negros assassinados na Zona Leste, movimentos ocuparam saguão da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e exigiram presença do secretário, que deu no pé com escolta policial

Matheus Freitas: Presente! Familiares, amigos e moradores do Jardim Novo Horizonte voltam às ruas - dessa vez, para homenagear o universitário negro de 24 anos que morreu após ser baleado por PM dentro de uma escola

Familiares, amigos e moradores do Jardim Novo Horizonte voltam às ruas – dessa vez, para homenagear o universitário negro de 24 anos que morreu após ser baleado por PM dentro de uma escola

Jovem negro morre após ser baleado por PM em escola, moradores protestam e repressão come solta no Extremo Sul O universitário Matheus Freitas foi atingido no último sábado (01/10) e morreu segunda-feira (03/10), no Hospital do Grajaú. Inconformados, amigos e conhecidos protestaram no Jardim Novo Horizonte, mas foram fortemente reprimidos pela Polícia Militar

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

O universitário Matheus Freitas foi atingido no último sábado (01/10) e morreu segunda-feira (03/10), no Hospital do Grajaú. Inconformados, amigos e conhecidos protestaram no Jardim Novo Horizonte mas foram reprimidos pela PM

516 anos de golpe Não é de hoje que os Guarani Mbya estão na resistência. No governo Dilma (PT), foram enrolados até conquistar com muita luta o reconhecimento de suas terras no Extremo Sul de São Paulo. Mas a mudança para o governo do golpista Michel Temer acende um alerta com a possibilidade de novos ataques aos direitos dos povos originários

Dilma só reconheceu as terras dos Guarani Mbya no Extremo Sul de São Paulo aos 45′ do segundo tempo de seu governo. E agora, com o golpista Temer no poder, os indígenas se preparam para resistir a possíveis novos ataques

EDITORIAL: Brasil racista, máquina mortífera para o povo preto O Mapa da Violência reforça o que todo mundo sabe: o estado brasileiro extermina negros. Somos medalha de ouro em genocídio. E isso não é considerado escandaloso. Enfim, quem luta por nós? Aqui, o golpe é permanente

O Mapa da Violência reforça o que todo mundo sabe: o estado brasileiro extermina negros. Somos medalha de ouro em genocídio. E isso não é considerado escandaloso. Enfim, quem luta por nós? Aqui, o golpe é permanente

Quando o enquadro vira sequela Levantamento do Comitê Juventude e Resistência e da DRE do Campo Limpo revela que o esculacho policial é cotidiano para parte significativa da população

Levantamento do Comitê Juventude e Resistência e da DRE do Campo Limpo revela que o esculacho policial é cotidiano para parte significativa da população