No sábado, Grajaú terá ato em repúdio a ataque racista contra esteticista negra Taciana Cristina é cabelereira especializada em estética negra e sofreu ataque em Belo Horizonte na véspera do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

CAPS Grajaú convoca ato em repúdio ao ataque racista contra a cabeleireira especializada em estética negra que aconteceu no último 20 de março em BH

Repórter da Quebrada: participe do projeto do Periferia em Movimento Você pode colaborar na produção de nossas reportagens e indicar interesse em participar de cursos e oficinas que vamos oferecer. Saiba mais!

Você pode colaborar na produção de nossas reportagens e indicar interesse em participar de cursos e oficinas que vamos oferecer. Saiba mais!

Tranquilo e favorável? Um breve balanço do ano que se encerra Por ora, vamos fazer uma pausa mas voltamos logo. Afinal, a luta continua e desistir nunca foi opção

Por ora, vamos fazer uma pausa. Você acompanha aqui nossa retrospectiva. E voltamos logo. Afinal, a luta continua e desistir nunca foi opção

Tribunal Popular: povo julga Estado por genocídio Moradores da Zona Sul de São Paulo colocam o Estado no banco dos réus para julgá-lo pelo genocídio negro, dos povos indígenas, pobres e periféricos

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

Moradores da Zona Sul de São Paulo colocam o Estado no banco dos réus para julgá-lo pelo genocídio negro, dos povos indígenas, pobres e periféricos

#BlackBraziliansMatter: Após ocupação da SSP, movimentos fazem novo ato contra genocídio Encontro marca lançamento do livro “Mães em Luta – 10 anos dos Crimes de Maio”, com perfis das Mães de Maio, e da campanha internacional #BlackBraziliansMatter. Na sequência, grupos fazem cortejo até a Secretaria de Segurança Pública, que foi ocupada na última quinta-feira (10) por manifestantes em protesto contra a execução de cinco jovens negros na Zona Leste

Velas acesas na porta da SSP (Foto: Edu Graja)

Encontro marca lançamento de livro sobre as Mães de Maio e campanha internacional #BlackBraziliansMatter. Grupos caminha até a Secretaria de Segurança Pública, ocupada semana passada contra a execução de cinco jovens na ZL

Manifestantes ocupam SSP, secretário foge e grupos prometem novo ato contra genocídio Durante ato em homenagem a cinco jovens negros assassinados na Zona Leste, movimentos ocuparam saguão da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e exigiram presença do secretário. Mágino Alves apareceu, prometeu falar com manifestantes mas usou escolta policial para escapar da multidão. Novo ato acontece quinta que vem, dia 17

(Foto: Edu Graja)

Durante ato em homenagem a cinco jovens negros assassinados na Zona Leste, movimentos ocuparam saguão da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e exigiram presença do secretário, que deu no pé com escolta policial

Movimentos fazem ato em memória de cinco jovens negros assassinados pela PM Após ficarem duas semanas desaparecidos, corpos de jovens da Zona Leste de São Paulo foram encontrados em Mogi das Cruzes. Ato-vigília acontece nesta quinta-feira (10 de novembro), ao lado da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, e pede fim da PM e saída de Alckmin

Após ficarem duas semanas desaparecidos, corpos de jovens da Zona Leste de São Paulo foram encontrados em Mogi das Cruzes. Ato-vigília acontece nesta quinta-feira (10 de novembro), ao lado da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, e pede fim da PM e saída de Alckmin

Pela 21º ano seguido, movimentos e organizações fazem caminhada contra violência do Estado Caminhada pela Vida e pela Paz sai de três pontos diferentes na Zona Sul até o Cemitério São Luís - que era o principal destino das vítimas da violência que marcou o Jardim Ângela, Jardim São Luís e Capão Redondo nos anos 1990

Caminhada pela Vida e pela Paz sai de três pontos diferentes na Zona Sul até o Cemitério São Luís – que era o principal destino das vítimas da violência que marcou o Jardim Ângela, Jardim São Luís e Capão Redondo nos anos 1990

Matheus Freitas: Presente! Familiares, amigos e moradores do Jardim Novo Horizonte voltam às ruas - dessa vez, para homenagear o universitário negro de 24 anos que morreu após ser baleado por PM dentro de uma escola

Familiares, amigos e moradores do Jardim Novo Horizonte voltam às ruas – dessa vez, para homenagear o universitário negro de 24 anos que morreu após ser baleado por PM dentro de uma escola

Jovem negro morre após ser baleado por PM em escola, moradores protestam e repressão come solta no Extremo Sul O universitário Matheus Freitas foi atingido no último sábado (01/10) e morreu segunda-feira (03/10), no Hospital do Grajaú. Inconformados, amigos e conhecidos protestaram no Jardim Novo Horizonte, mas foram fortemente reprimidos pela Polícia Militar

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

O universitário Matheus Freitas foi atingido no último sábado (01/10) e morreu segunda-feira (03/10), no Hospital do Grajaú. Inconformados, amigos e conhecidos protestaram no Jardim Novo Horizonte mas foram reprimidos pela PM