No sábado, Grajaú terá ato em repúdio a ataque racista contra esteticista negra Taciana Cristina é cabelereira especializada em estética negra e sofreu ataque em Belo Horizonte na véspera do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

CAPS Grajaú convoca ato em repúdio ao ataque racista contra a cabeleireira especializada em estética negra que aconteceu no último 20 de março em BH

No sábado, conferência discute políticas públicas, feminismo e ancestralidade das mulheres negras Das 10h às 18h, a II Conferência Nega Odara reúne o público no CEU Caminho do Mar para rodas de conversa, oficinas e apresentações culturais

Nesse sábado, 25 de março, acontece a II Conferência Nega Odara no CEU Caminho do Mar. Serão discutidos ancestralidade da mulher negra e a relação com o feminismo e políticas públicas.

De Trump a Temer, o que aproxima as periferias negras norte-americanas às brasileiras? Em entrevista, Patricia Hill Collins fala sobre a formação do Black Lives Matter, sobre políticas públicas para mulheres negras, a nova onda de movimentos sociais e o papel do jornalismo cidadão no cenário político econômico e social atual

Nós do Periferia em Movimento, do Alma Preta e da Rede de Cursinhos Emancipa, conversamos com Patrícia Hill Collins sobre como as vivências de movimentos feministas negros/periféricos dos Brasil e EUA podem se complementar. Confira!

Espetáculo traça paralelo entre orixás, negação do racismo e vivências dos próprios artistas Inspirado no livro homônimo de Frantz Fanon, a companhia de dança negra Treme Terra volta aos palcos com o espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas”

#Memória2016: Uma década depois dos Crimes de Maio, o Estado segue deixando mães sem filhos Ítalo ou Matheus. 10 ou 24 anos. No Morumbi, no Grajaú, na Favela Sucupira, na Zona Leste... Com golpe ou sem golpe para trocar os comandantes no andar de cima, o genocídio do povo negro continua, criando novas Mães de Maio, junho, setembro... Por outro lado, o revide vem mais forte

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

Ítalo ou Matheus. 10 ou 24 anos. No Morumbi, no Grajaú, na Favela Sucupira, na Zona Leste… Com golpe ou sem golpe para trocar os comandantes no andar de cima, o genocídio do povo negro continua

Um ano de fortalecimento da consciência negra no Grajaú Ser negra em Cuba, se descobrir negra ao sair da África, se reconhecer negra na "democracia racial": confira como foi o primeiro aniversário da Roda de Estudos Afro-brasileiros do Centro de Arte e Promoção Social do Grajaú

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Ser negra em Cuba, se descobrir negra ao sair da África, se reconhecer negra na “democracia racial”: confira como foi o primeiro aniversário da Roda de Estudos Afro-brasileiros do Centro de Arte e Promoção Social do Grajaú

“Nossos passos vêm de longe”: Mulheres negras e as oportunidades contra a maquinaria da opressão Moradora do Extremo Sul de São Paulo, mulher negra e periférica, a pesquisadora e militante Regiane Soares escreve sobre o aniversário da histórica Marcha das Mulheres Negras e as motivações para seguir caminhando

Moradora do Extremo Sul de São Paulo, mulher negra e periférica, a pesquisadora e militante Regiane Soares escreve sobre o aniversário da histórica Marcha das Mulheres Negras e as motivações para seguir caminhando

Moradores de favelas do Jaguaré lembram Dia da Consciência Negra com debates, jogos e muita música Batizado de "Tardes Africanas", o evento acontecerá no sábado e domingo (dias 19 e 20) nas favelas São Remo e Nova Jaguaré, respectivamente. Saiba mais o que vai rolar

Batizado de “Tardes Africanas”, o evento acontecerá no sábado e domingo (dias 19 e 20) nas favelas São Remo e Nova Jaguaré, respectivamente. Saiba mais o que vai rolar

Tribunal Popular: povo julga Estado por genocídio Moradores da Zona Sul de São Paulo colocam o Estado no banco dos réus para julgá-lo pelo genocídio negro, dos povos indígenas, pobres e periféricos

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

Moradores da Zona Sul de São Paulo colocam o Estado no banco dos réus para julgá-lo pelo genocídio negro, dos povos indígenas, pobres e periféricos

#BlackBraziliansMatter: Após ocupação da SSP, movimentos fazem novo ato contra genocídio Encontro marca lançamento do livro “Mães em Luta – 10 anos dos Crimes de Maio”, com perfis das Mães de Maio, e da campanha internacional #BlackBraziliansMatter. Na sequência, grupos fazem cortejo até a Secretaria de Segurança Pública, que foi ocupada na última quinta-feira (10) por manifestantes em protesto contra a execução de cinco jovens negros na Zona Leste

Velas acesas na porta da SSP (Foto: Edu Graja)

Encontro marca lançamento de livro sobre as Mães de Maio e campanha internacional #BlackBraziliansMatter. Grupos caminha até a Secretaria de Segurança Pública, ocupada semana passada contra a execução de cinco jovens na ZL