“O não-indígena acha que não tem índios em SP” Para o educador guarani Karaí Poty, a visão só vai mudar quando os próprios indígenas puderem dar aula sobre sua história

Para Karaí Poty, educador Guarani Mbya, a visão só vai mudar quando os próprios indígenas puderem dar aula sobre sua história

516 anos de golpe Não é de hoje que os Guarani Mbya estão na resistência. No governo Dilma (PT), foram enrolados até conquistar com muita luta o reconhecimento de suas terras no Extremo Sul de São Paulo. Mas a mudança para o governo do golpista Michel Temer acende um alerta com a possibilidade de novos ataques aos direitos dos povos originários

Dilma só reconheceu as terras dos Guarani Mbya no Extremo Sul de São Paulo aos 45′ do segundo tempo de seu governo. E agora, com o golpista Temer no poder, os indígenas se preparam para resistir a possíveis novos ataques

É o clima: O que as quebradas e aldeias têm a ver com a COP 21?

(Foto: Paulo Pereira)

A partir da próxima segunda (30), representantes de governos e da sociedade civil de países de todo o mundo se encontram em Paris para discutir ações para frear as mudanças climáticas no planeta durante a 21ª Conferência do Clima ( COP 21 ) das Nações Unidas. Tá, e daí? E daí, que os principais prejudicadosContinue lendo É o clima: O que as quebradas e aldeias têm a ver com a COP 21?

Professora confecciona bonecas negras e indígenas para combater racismo desde a infância

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

“Minha maior conquista é trazer uma outra referência para as crianças, que podem escolher uma boneca parecida com elas”, explica Cristiane Jaxuka Palheta, moradora do Grajaú.

Exposição apresenta cotidiano dos indígenas guarani na cidade de São Paulo

A exposição “Nhande Kuery”, que acontece no Centro Cultural São Paulo (CCSP), reúne as vivências e processos do primeiro ciclo de trabalho do “Programa Aldeias”

Guaranis recebem Sarau do Binho em sua aldeia

“É importante a vinda das pessoas para entender a nossa luta que nunca vai acabar”, diz Elias Honório dos Santos ou Verá Mirim, em guarani, cacique das aldeias guaranis Tenondé Porã e Tekoa Eucalipto. O cacique e algumas famílias guaranis receberam visitantes na última quarta-feira dentro da programação do Estéticas das Periferias, durante o percursoContinue lendo Guaranis recebem Sarau do Binho em sua aldeia

Os índios de São Paulo querem suas terras de volta

Por Igor Ojeda e Tatiana Merlino (texto); Beatriz Macruz e Caio Castor (vídeo e foto), no site Repórter Brasil – Você pode explicar o que esse local significa para vocês? O cacique Karaí Mirim Vitor Fernandes, da aldeia Tekoa Pyau, da Terra Indígena Jaraguá, na Zona Norte de São Paulo, responde. Em guarani, sua língua.Continue lendo Os índios de São Paulo querem suas terras de volta

Aldeias guaranis lutam por território na cidade

  Por Thiago Borges Fora da área urbana, o município de São Paulo tem três territórios indígenas demarcados pela Funai em favor do povo guarani: o do Jaraguá, com 800 moradores, na zona Noroeste da cidade; o Tenondê Porã e o Krukutu, com mais de 1.000 habitantes, no Extremo Sul. Nessas terras indígenas, as comunidadesContinue lendo Aldeias guaranis lutam por território na cidade

Resistência dos pankararus na favela Real Parque

Da janela de seu apartamento, Maria Lídia da Silva, de 45 anos, observa a imponente Ponte Estaiada. Indígena da etnia pankararu, ela mora em um dos prédios erguidos desde 2010 pela prefeitura de São Paulo no lugar dos barracos de madeira da favela Real Parque. Lídia está há 15 anos longe da terra indígena demarcadaContinue lendo Resistência dos pankararus na favela Real Parque

12 mil indígenas vivem nas favelas e bairros periféricos

  São Paulo tem a quarta maior população indígena do Brasil: há 13.000 índios morando na cidade, que fica atrás apenas de municípios do estado do Amazonas. Se considerarmos apenas a população indígena urbana, São Paulo salta para o primeiro lugar com 11.900 pessoas vivendo longe das aldeias, segundo o censo 2010 do Instituto BrasileiroContinue lendo 12 mil indígenas vivem nas favelas e bairros periféricos