Chacina de Osasco e Barueri: 6 anos depois, mães seguem na luta por justiça

No último sábado (14/8), um pequeno grupo relembrava o massacre que deixou 22 pessoas e 7 feridas nos municípios da Grande SP

Mesmo com pandemia, assassinatos voltam a crescer no Brasil

Jovens negros do gênero masculino são maioria entre vítimas. Casos de feminicídio e violência contra crianças, adolescentes e pessoas LGBTQIA+ também sobem

Gibinha, vítima do Estado: Um artista eternizado nos muros da Favela da Felicidade

No mesmo dia em que milhares de pessoas saíram às ruas pedindo “Fora, Bolsonaro”, moradores de periferia paulistana fizeram um ato em memória de Gibinha, mais uma vítima do genocídio promovido pelo Estado

Pela internet, grupos recebem denúncias de violação de direitos na pandemia

Saiba como relatar casos de violência policial, falta d’água e outras situações

Coronavírus vira nova justificativa para violência policial nas periferias, alertam militantes

Reportagem de Laís Diogo e Thiago Borges Na semana santa, o jovem F. largou a quarentena e foi pedalar com amigos em uma praça do Grajaú, no Extremo Sul de São Paulo. Naquela noite, eles tomavam açaí enquanto outras pessoas bebiam e alguns meninos davam grau de bike. Até que a Polícia Militar chegou atacando …

De Marielle a Paraisópolis: Procurando brechas pra resistir ao genocídio do Estado

Massacre na favela completou 100 dias, enquanto mortes de vereadora e seu motorista já fazem 02 anos sem resolução

Por uma cidade justa: Articular, ocupar e resistir! Vem aí a 22ª Caminhada Pela Vida e Pela Paz

O evento acontece desde 1995 na Zona Sul de São Paulo. Na época, o terceiro cemitério de São Paulo era destino das violências que marcaram o “triângulo da morte”: Jardim Ângela, Jardim São Luís e Capão Redondo.

Matheus Freitas: Presente!

Familiares, amigos e moradores do Jardim Novo Horizonte voltam às ruas – dessa vez, para homenagear o universitário negro de 24 anos que morreu após ser baleado por PM dentro de uma escola

Quando o enquadro vira sequela

Levantamento do Comitê Juventude e Resistência e da DRE do Campo Limpo revela que o esculacho policial é cotidiano para parte significativa da população

Carandiru: “Não deveriam ter mandado a ROTA entrar primeiro lá”

Policial que participou da operação no Carandiru acredita que se outras equipes policiais tivessem entrado primeiro no presídio “não haveria o número de mortes que houve”

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: