“Eu não vou passar perrengue!”: O cotidiano pandêmico de um artista de rua LGBTQIA+ na periferia de SP

Israel de Lima Barbosa faz da represa Billings o palco principal onde representa personagens, vende doces, estabelece relações e procura sobreviver à crise que afeta a todes, mas de forma desigual

CAIU TUDO POR AÍ?

Siga a gente no Twitter!

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: