#QuebradaGourmet: Em periferia “central”, feira gastrônomica acontece perto do Largo Treze

De segunda a sábado, praça Floriano Peixoto (em Santo Amaro) tem diversas opções de comida

Da saúde ao jornalismo: 6 encontros que promovem reflexão na quebrada

Nos dias 22 e 23 de fevereiro, debates e rodas de conversa na Zona Sul ampliam conhecimento sobre diferentes temáticas. Confira na lista que a Periferia em Movimento preparou

Inscreva-se: Homens pretos discutem masculinidade em uma sociedade racista

Objetivo é refletir como os próprios homens se veem em uma sociedade racista, como melhorar as relações com outras pessoas pretas e de que forma isso pode fortalecer o próprio povo

Inscreva-se: Formação debate aspectos da cultura africana

Ciclo de Formação Marcus Garvey acontece entre agosto e setembro, em Santo Amaro. Vagas limitadas. Saiba como participar!

Documentário retrata cotidiano de escolas ocupadas nas periferias; estudantes voltam às ruas

Três jovens ex estudantes de Escolas Estaduais registraram a mobilização de secundaristas, que voltam às ruas contra o fechamento de salas e máfia das merendas.

Volta às aulas: não tá tranquilo, mas pode ser favorável

Mil salas fechadas, vagas negadas, alunos perseguidos: apesar da tensa volta às aulas, estudantes que ocuparam escolas esperam um ano favorável à luta contra a reorganização

Samba da Vela: há 15 anos mantendo acesa a chama da música popular

A cada semana, pelo menos 25 compositores comparecem à roda de samba em Santo Amaro. Mais de 300 compositores já foram revelados e 1,5 mil canções lançadas

Participe de nosso curso de extensão universitária!

Somos mais de 8 milhões nas quebradas na cidade de São Paulo e quase 60 milhões em todo Brasil, mas continuamos pouco representados na mídia convencional.

“Periferia na Mídia”: participe de nosso curso universitário

Promovido pelo Periferia em Movimento, o curso de 12hs acontece nos dias 14, 21 e 28 de março no Centro Universitário Ítalo-Brasileiro

ACENDEU A VELA, O SAMBA COMEÇOU!

Aos 87 anos, dona Maria de Lourdes Ferreira continua com samba no pé. Moradora do Alto da Lapa, ela ainda desfila nos carnavais paulistanos pela velha guarda da Camisa Verde e Branco, sua escola do coração, e não dispensa um batuque. “Onde tem alguém batendo palma, eu pulo no meio pra sambar. O samba corre […]

%d blogueiros gostam disto: