Em São Paulo, imigrantes angolanos lutam contra prisão de ativistas em sua terra natal Coletivo Muxima na Diáspora denuncia ditadura em Angola: 17 jovens foram presos e condenados por se oporem a presidente que se mantém no poder desde 1979

Foto: Muxima na Diáspora

Coletivo Muxima na Diáspora denuncia ditadura em Angola: 17 jovens foram presos e condenados por se oporem a presidente que se mantém no poder desde 1979

“Ítalo vive”: um papo reto de militantes negros para brancos do Morumbi favoráveis à violência policial Manifestantes contra e a favor à Polícia Militar ficam frente a frente em atos no Palácio dos Bandeirantes, que aconteceram após a morte de menino de 10 anos por integrantes da corporação

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento

Manifestantes contra e a favor à Polícia Militar ficam frente a frente em atos no Palácio dos Bandeirantes, que aconteceram após a morte de menino de 10 anos por integrantes da corporação

Em memória de menino morto por PM, grupo protesta em frente ao Palácio dos Bandeirantes Ítalo, de 10 anos, foi executado pela Polícia Militar. Militantes antirracistas se manifestam contra polícia de Alckmin no sábado (11), mesmo dia em que moradores do Morumbi fazem ato em favor de assassinos

Imagem: reprodução TV Globo

Ítalo, de 10 anos, foi executado pela Polícia Militar. Militantes antirracistas se manifestam contra polícia de Alckmin no sábado (11), mesmo dia em que moradores do Morumbi fazem ato a favor dos assassinos

Sucupira Resiste e lembra jovens mortos pelo Estado Por Dudinha e por todos e todas jovens que morreram nas mãos do Estado, movimentos sociais, artistas, coletivos e moradores da Favela Sucupira se reuniram no último domingo (29 de maio) para homenagear as vítimas e denunciar o genocídio do povo preto praticado pela polícia.

Por Dudinha e por todos e todas jovens que morreram nas mãos do Estado, movimentos sociais, artistas, coletivos e moradores da Favela Sucupira se reuniram para homenagear as vítimas e denunciar o genocídio

Tamo de olho: Senado vai fazer audiência pública sobre redução da maioridade Após pressão, parlamentares aprovaram discussão sobre o assunto com a sociedade antes de votar propostas que criminalizam adolescentes

Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

Após pressão, parlamentares aprovaram discussão sobre o assunto com a sociedade antes de votar propostas que criminalizam adolescentes

Adolescentes em risco: Senado volta a discutir redução da maioridade penal Tema volta à pauta com possibilidade de penalizar "crimes graves"; saiba como pressionar senadores

Foto: Senado

Tema volta à pauta com possibilidade de penalizar “crimes graves”; saiba como pressionar senadores

Quem luta por nós? Um recorte sobre golpes, panelas, lágrimas e quintais compartilhados

Manifestação contra Michel Temer na Virada Cultural. (Foto: Arrua Coletivo)

Falamos com artistas, coletivos e militantes de movimentos sociais do Extremo Sul de São Paulo (onde atuamos geograficamente) para saber se e como a conjuntura nacional impacta no trampo de quem tá na ponta, na beira da represa, sem holofotes e sinal de internet.

“Sucupira Resiste”: Ato contra o genocídio denuncia extermínio de jovens por policiais no Grajaú Artistas, coletivos e movimentos do Extremo Sul realizam ato em favela onde adolescente negro foi assassinado por PMs um ano atrás

No domingo, 29 de maio, Ato reúne a quebrada para lembrar as mortes de jovens periféricos e do povo preto pela repressão policial e lutar por mudanças.

“Queremos parir uma nova sociedade” Mães de maio divulgam Carta Final do I Encontro internacional das Mães de Vítimas da Violência do Estado

‘Carta Final do I Encontro Internacional das Mães de Vítimas da Violência do Estado: NÓS MÃES DE VÍTIMAS, TODOS OS NOSSOS FAMILIARES E FILHXS QUERIDXS VAMOS PARIR UMA NOVA SOCIEDADE! <<De todos os hinos entoados em louvor às revoluções nos campos de batalha, nenhum, por mais belo que seja, tem a força das canções deContinue lendo “Queremos parir uma nova sociedade” Mães de maio divulgam Carta Final do I Encontro internacional das Mães de Vítimas da Violência do Estado

10 anos, 84 teses e as mães das periferias ainda perdem seus filhos para a polícia Uma década depois dos "Crimes de Maio", familiares aguardam resposta do Estado. Enquanto a conjuntura política do País se complica entre artimanhas de políticos profissionais, quem chora pelo sangue derramado nas quebradas só tem uma certeza: "é nois por nois!"

Os Crimes de Maio completam 10 anos, e para as Mães de Maio a luta continua segmentada: “Chegou a hora dos acadêmicos acordarem pra vida e ajudarem na revolução”, afirma Debora Silva