“Sucupira Resiste”: Ato contra o genocídio denuncia extermínio de jovens por policiais no Grajaú Artistas, coletivos e movimentos do Extremo Sul realizam ato em favela onde adolescente negro foi assassinado por PMs um ano atrás

No domingo, 29 de maio, Ato reúne a quebrada para lembrar as mortes de jovens periféricos e do povo preto pela repressão policial e lutar por mudanças.

“Queremos parir uma nova sociedade” Mães de maio divulgam Carta Final do I Encontro internacional das Mães de Vítimas da Violência do Estado

‘Carta Final do I Encontro Internacional das Mães de Vítimas da Violência do Estado: NÓS MÃES DE VÍTIMAS, TODOS OS NOSSOS FAMILIARES E FILHXS QUERIDXS VAMOS PARIR UMA NOVA SOCIEDADE! <<De todos os hinos entoados em louvor às revoluções nos campos de batalha, nenhum, por mais belo que seja, tem a força das canções deContinue lendo “Queremos parir uma nova sociedade” Mães de maio divulgam Carta Final do I Encontro internacional das Mães de Vítimas da Violência do Estado

10 anos, 84 teses e as mães das periferias ainda perdem seus filhos para a polícia Uma década depois dos "Crimes de Maio", familiares aguardam resposta do Estado. Enquanto a conjuntura política do País se complica entre artimanhas de políticos profissionais, quem chora pelo sangue derramado nas quebradas só tem uma certeza: "é nois por nois!"

Os Crimes de Maio completam 10 anos, e para as Mães de Maio a luta continua segmentada: “Chegou a hora dos acadêmicos acordarem pra vida e ajudarem na revolução”, afirma Debora Silva

Genocídio: golpe permanente Independente da corrente que se sagrar vitoriosa na votação deste domingo, a gente sabe que vai seguir sangrando por aqui

Debate realizado no CEU Parelheiros, durante a programação do Mês do Hip Hop (Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Golpe: Independente da corrente que se sagrar majoritária na votação deste domingo, a gente sabe que vai seguir sangrando por aqui.

“O golpe vai ser dos pretos contra o racismo, contra as elites, não o contrário” Encontro de estudantes da Uneafro contou com a presença do ator Lázaro Ramos

O encontro “Por Uma Democracia de Verdade” reuniu 600 jovens no sábado, 2 de abril, na Zona Leste de SP.

#SP462 anos: Comemorar o quê?

Na última segunda-feira (25), quando capital paulista completou 462 anos, movimentos sociais se reuniram na Praça da Sé para o 3º ato São Paulo Manicômio Genocida.

Atos lembram 462 anos de genocídio em São Paulo

Entre a matança indígena promovido pelos bandeirantes à escravidão dos negros, São Paulo se transformou na maior cidade do País. E o genocídio continua nos becos e vielas.

#Memória2015: No ano das chacinas, nosso sangue escorreu pelas ruas e vielas

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Em todo Brasil, mais de 50 mil pessoas morrem vítimas de homicídios anualmente, seja por falta de suporte do Estado ou exterminado pelo mesmo Estado. E os dados comprovam: a maior parte das vítimas é negra, pobre e mora nas periferias. Mas quem fica indignado?

#Memória2015: Redução da maioridade – O plano por trás do encarceramento da nossa molecada

(Foto: Agência Câmara de Notícias)

Em 2015, conversamos na bolinha do olho com as pessoas sobre o que está por trás da proposta de redução da maioridade penal e como isso faz parte do plano genocida do Estado.

Bananas e torcida “gourmet” no futebol: Racismo não faz gol. É falta! Jogadas racistas no futebol, naturalizadas, seguem impunes pela lei da vantagem

Hoje não tem bola na rede nem final de campeonato. Mas enquanto o futebol tira férias, o racismo segue fazendo falta, jogando sujo e matando. Toda hora é hora de jogar contra ele.