EDITORIAL: Pés no chão, cabeça erguida e olhos nos olhos

Nossa opinião sobre o resultado das urnas: o louco está por vir! Mas chega de pagar veneno. Queremos fartura de vida. Vamos juntos?

5 anos de existência e luta do Coletivo Abayomi Aba

Evento com o objetivo de fortalecer e potencializar e fortalecer articulação Política dos coletivos culturais dos Distrito de Parelheiros e promover igualdade racial.

Encontro debate resistência das mulheres no Candomblé

Com documentário e participação da cantora Denise Alves, evento acontece no Grajaú e marca o lançamento da Rede Elekô Eledaoguntá, formada por mulheres negras

Da Senzala à Favela: Mulher Negra, Memórias e Re-Existência

No dia 18 de junho, acontecerá no Lago Azul, uma roda de conversa sobre o tema: “Da Senzala a Favela: Mulher Memórias e Re-Existência”, com Djamila Ribeiro. 
Esse evento faz parte do projeto “Kalunga Grande. Rios de sangue. Corpos negros jogados ao mar”. Do começo da atuação do Kalunga, já houveram outras atividades, que foram uma roda de conversa sobre “Identidade Brasileira e o Povo Negro” e vivências de dança e percussão africanas e afro-brasileiras. 

Construção do primeiro seminário LGBTQI+ das periferias!

A Casa no Meio do Mundo e o coletivo Favela Arte Drag promovem a construção do 1º Seminário de Arte, Cultura e Políticas Públicas da População LGBTQI+ Periférica no dia 8 de maio, às 19:00 hrs.

Quem te penteia?

O Cine Julita, apresenta o documentário “Quem te penteia?”, produzido pela Zalika Produções e que aborda temas como autoestima, identidade de gênero, economia solidária e convivência comunitária.

UJIMA Povo Preto oferece curso sobre Malcolm X de graça!

Organização PanAfricana UJIMA Povo Preto abre inscrições para o curso sobre Malcolm X, que acontecerá na Casa de Cultura Hip Hop Zona Leste no dia 19 de maio.

Dois anos de sua partida, um luto, uma luta… Luana presente!

Slam Luana Presente mantém a memória de Luana Barbosa, mulher negra e lésbica que morreu após abordagem de PM’s em 2016.

“O maior desafio da população negra é viver”. Com vocês, a série VIVÊNCIAS NEGRAS

“As pessoas tendem a colocar a identidade racial em uma única perspectiva: Pobre preto periférico, como se isso dissesse respeito e/ou representasse uma identidade única”

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: