A cura vem do mar

Crítica do espetáculo “Kalunga Grande” feita por Nayla Aauri

Matriarcas: No país da professora Maria Vilani, ela rega perspectivas de futuro com arte e cultura

“Grajaú é o meu país”. Esse é o lema de Maria Vilani, de 69 anos. E não é só porque o distrito localizado no Extremo Sul de São Paulo é o mais populoso da cidade – oficialmente, com mais de 360 mil habitantes –, mas também porque foi nesse chão em que essa cearense natural da capital Fortaleza finca raízes e constrói possibilidades desde 1982.

Ampliando saberes: Vivências abordam teatro, narrativas e moda nas periferias, além de empreendedorismo ambiental e residência artística

Mesclando saberes ancestrais e novas tecnologias, as periferias produzem conhecimento

Festas e pedalada marcam Dia das Crianças nas quebradas da Zona Sul

Para celebrar o 12 de outubro, uma série de atividades está prevista em diferentes pontos da Zona Sul de São Paulo. Promovida pela Cooperpac e Agência Cresce no âmbito das atividades da UniGraja – Universidade Livre Grajaú, a feira “Criança consciente é criança do futuro” vai contar com diversas atividades, como feira de trocas de […]

Um espaço pra pensar e cuidar da saúde das mulheres na periferia

Fotos e reportagem por Carolina Messias. Edição: Thiago Borges “O médico me disse que não poderia solicitar o exame papanicolau porque eu era virgem, mesmo eu dizendo que já havia tido relações com mulheres. Tive que me relacionar com um homem para perder a virgindade, voltar ao médico e fazer meu exame”. O relato acima, […]

Espetáculos sobre ancestralidade negra e festival LGBTQIA+ movimentam periferias de SP

Confira o que rola no primeiro final de semana de outubro!

Mulheres periféricas lançam manifesto pelo fim da violência de gênero

Uma articulação entre 18 iniciativas lideradas por mulheres periféricas, entre coletivos e organizações, lança nesta quinta-feira (03/10) um manifesto pelo fim da violência de gênero. A Periferia em Movimento também assina a carta.

Playlist de outubro: De Rashid a Thiago Elniño, músicas falam de resistência negra, afetividade e direitos na quebrada

Rashid, Alaafin, Thiago Elniño e mais!

“Meu nome é Correria”: da luta por direitos à geração de renda, articuladores fomentam redes periféricas

Trabalhadores, militantes, educadores, artistas, empreendedores… Muitas palavras cabem na definição do que fazem os personagens acima. Mas a mais certeira é a de “articulador”, central para transformar a realidade.

“Ciclo de contágio” aborda arte, política e hiv/aids. Confira programação de outubro!

Série de atividades tem início em outubro e extensão até dezembro.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: