Em 11ª edição, Mostra Cultural da Cooperifa destaca identidades e imaginários

Em 11ª edição, Mostra Cultural da Cooperifa destaca identidades e imaginários

Periferia em Movimento

Periferia em Movimento

Com apresentações artísticas, saraus, debates e oficinas, série de atividades na Zona Sul de São Paulo começa neste sábado (03) e segue até 11 de novembro. Confira a programação!

Para celebrar os 17 anos de poesia de um movimento cultural que habita o bar do Zé Batidão, periferia de São Paulo, a Cooperifa promove sua 11ª Mostra Cultural. As atividades acontecem entre este sábado (03 de novembro), com show de Ellen Oléria na abertura, e seguem até o próximo domingo (11 de novembro), em que Odair José, Paulo Miklos, Tássia Reis e Lino Krizz se apresentam na Praça do Campo Limpo – Zona Sul da capital paulista.
Com uma programação diversa e espalhada em escolas e pontos culturais da região, acontecem apresentações artísticas, oficinas e debates, essa edição destaca a formação de identidades negras e periféricas, o empreendedorismo e a criação de novos imaginários. O Periferia em Movimento participa dessa Mostra no debate “Memórias e imaginários: O que é o jornalismo nas periferias?”, que acontece no dia 10. Clique aqui para ver a programação completa.

Separamos alguns destaques:

Sábado, 03 de novembro

No Sesc Campo Limpo – R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo
16h – Debate – “Literatura: Narrativas poéticas de liberdade” – Com objetivo de refletir sobre suas trajetórias, influências literárias e os processos criativos que norteiam suas obras.
CRISTIANE SOBRAL – É escritora, professora, diretora de teatro e atriz. Mestre em Teatro e ganhadora do Prêmio FAC 2017 Culturas Afro-Brasileiras. Publicou cinco obras com maior destaque para “Não vou mais lavar os pratos”.
JEFERSON TENÓRIO – É doutorando em teoria literária pela PUCRS. Estreou na literatura com o romance O beijo na parede (2013), eleito o livro do ano. Além disso, teve textos adaptados para o teatro. É autor também do romance Estela sem Deus.
MEDIAÇÃO: ELIZANDRA SOUZA – Poeta, Jornalista, integrante do Sarau das Pretas. Autora do livro de poesias Águas da Cabaça. Foi editora e jornalista responsável na Agenda Cultural da Periferia. Idealizadora do evento Mjiba em Ação – Comemoração ao Dia da Mulher Negra. Editora do Fanzine Mjiba.

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Chico César se apresenta no encerramento da Mostra Cultural da Cooperifa de 2013. (Foto:Thiago Borges / Periferia em Movimento)


18h – Debate – “Cultura e estética como práticas para o empoderamento”
JOICE BERTH – Arquiteta e urbanista, pós-graduanda em Direito Urbanístico pela PUCMG pesquisadora sobre questões raciais e gênero, escritora e autora do livro O que é Empoderamento? da coleção Feminismos Plurais!
RENATA PRADO – Pesquisadora na área da educação partindo da temática que estabelece a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo oficial da rede de ensino; dançarina de funk; produtora executiva da festa Batekoo SP e diretora da Frente Nacional de Mulheres no Funk.
MEDIAÇÃO: JENYFFER NASCIMENTO – Produtora, feminista, e apreciadora de arte, porta-voz de uma geração de mulheres negras que estão descobrindo e construindo sua identidade enquanto mulheres negras, fortalecendo-se mutuamente e construindo diálogos visando ao fortalecimento de sua autoestima.
 
20h – Show de abertura com Ellen Oléria – Cantora e compositora brasileira, nascida e criada em Brasília, onde se formou em Artes Cênicas na Universidade de Brasília. Com mais de 15 anos na estrada da música, a artista acumula prêmios em festivais, tem 5 discos lançados e turnês realizadas pelo Brasil e mundo afora.
 

Domingo, 04 de novembro

NO CAMPO JARDIM LETÍCIA – R. Nova do Tuparoquera, 2309 – Jardim Novo Santo Amaro
09h – Festival Várzea Poética – Com os jogos Letícia X Trovão; PSA X R12; e Democratas X Unidos do Morro. Intervenção do Narra Várzea e o grupo Samba da Hora.
 
Na Fábrica de Cultura do Jardim São Luiz – R. Antônio Ramos Rosa, 651
14h – Exposição “A ARTE DE UM FAVELADO” – Carolina Maria de Jesus, Castro Alves, Sabotage, Madame Satã, Noel Rosa e outros são parte do processo de investigação do artista plástico Puga Menezes, que tem como inspiração a periferia e a arte negra.
15h – Oficina de criação literária “Soltando a língua”, com Marcelino Freire. Serão trabalhadas técnicas para “desbloquear” a escrita e para avançar em um projeto literário. Os participantes produzirão textos em sala e discutirão a produção de outros autores, em diversos gêneros como conto, poesia e romance.
16h – Debate – Sarau como resistência: Nos últimos 20 anos, os saraus transformaram a cultura produzida nas periferias de São Paulo, por meio da oralidade e fortalecendo a resistência literária para a construção de novas narrativas. Participam:
RAQUEL ALMEIDA – É poeta, escritora, arte – educadora e produtora cultural, estudou música na Faculdade Carlos Gomes (Grupo Educacional UNIESP). Co-fundadora do Coletivo literário Elo da Corrente.
RUIVO LOPES – Poeta e educador, especialista em planejamento e práticas pedagógicas. É pesquisador musical e membro do Coletivo Perifatividade. Fundador do Círculo de Cultura
MEDIAÇÃO: DÉBORA GARCIA – é poetisa e gestora cultural. Idealizadora e artista no coletivo Sarau das Pretas. Atua junto aos coletivos Quilombhoje. Ministra palestras sobre literatura, políticas culturais. É autora do livro Coroações – Aurora de poemas.
 
18h – Debate “Cultura em tempos de crise”, com objetivo de discutir e investigar como grupos culturais têm atuado frente à falta de investimentos e buscado soluções autônomas na concretização de suas ações. Participam:
ALÂNIA CERQUEIRA – Educadora Popular que realiza atividades de formação Cidadã. Acompanha o Conselho de Educação Popular da América Latina e Caribe.
Co-fundadora do Grupo UMOJA e produtora da Noite Dos Tambores ação cultural o maior encontro percussivo de São Paulo.
GUSTAVO SOARES – Atua há 10 anos como gestor e produtor cultural, integrando a Associação Periferia Invisível e o Movimento Cultural Ermelino Matarazzo. Formado em Marketing pela EACHUSP.
MEDIAÇÃO: GIL MARÇAL – É Gestor e produtor cultural com experiência em programas e políticas públicas de cidadania cultural. Foi coordenador do Programa VAI e dirigiu a área de Cidadania Cultural de SP.
 
20h – Show – BOTICA POESIA – ESPETÁCULO DE SAMBA E POESIA – projeto desenvolvido pelo músico Renato Gama que compôs sambas a partir de algumas poesias do poeta Sergio Vaz. Acompanhados pela banda Botica e o poeta, os dois sobem ao palco para cantar e recitar um pouco da obra do poeta que completa 30 anos de carreira em 2018.
 

Segunda, 05 de novembro

No Bar do Zé Batidão (R. Bartolomeu dos Santos, 797 – Jardim Guarujá)
19h – Cinema na Laje, com o bate-papo “Lugar de fala no cinema: Diferentes lugares de onde se narra a periferia e suas questões”, com mediação de Daniel Fagundes e participação de Naná Prudêncio, Renato Cândido e Ricardo Elias.
Após o bate-apo, serão exibidos os filmes:
DEUS (de Vinicius Silva) É um curta-metragem que mistura documentário e ficção, conta a história de uma mãe negra da periferia de São Paulo e a influência divina que ela exerce na vida de seu filho.
SIMONE (de Renato Cândido) Essa moradora de Carapicuíba tem um dia decisivo para o amor. Ficção e realidade se misturam na espera pelo namorado, revelando angústias e solitudes de uma mulher negra.
QUEM TE PENTEIA? (de Naná Prudêncio) Um documentário que narra a cultura do cabelo crespo na cidade de São Paulo, a partir da década de 90, com enfoque em profissionais deste ramo e a estética como forma de resistência.
 

Terça, 06 de novembro

Foto: Aldo Augusto

Debate sobre literatura entre os escritores Marcelino Freire e Sergio Vaz (Foto: Aldo Augusto)


No Bar do Zé Batdião (R.Bartolomeu dos Santos, 797 – Jardim Guarujá)
20h – Sarau da Cooperifa – aniversário de 17 anos
 

Quarta, 07 de novembro

Na Fábrica de Cultura do Jardim São Luiz (R. Antônio Ramos Rosa, 651)
18h – Pocket show “Clássicos do Rap”, com DJ Zeca, Cris SNJ, Mauricio DTS, Consciência Humana, Cocão Avoz e DJ KL Jay.
 

Quinta, 08 de novembro

No CEU Campo Limpo (Av. Carlos Lacerda, 704 – Pirajussara)
13h – Exposição “Mulheres poderosas”, de Thainá Índia. Busca mostrar a beleza, força e o poder feminino, tendo como referência e inspiração as mulheres do cotidiano e tantas outras pelo mundo, que lutam todos os dias pela sua existência.
14h – Debate “Identidades periféricas e a luta antirracista na educação”. Com objetivo de refletir e dialogar sobre as múltiplas identidades presentes em nosso território a partir de uma abordagem como moradora da região, evidenciando nossas lutas culturais e movimentos de resistência. Participam:
JONATHAN MARCELINO – Doutorado em Geografia Humana (USP). Membro do grupo de pesquisa Geografia e Ciências Humanas -USP. Atuou como Coordenador Acadêmico da Universidade Aberta do Brasil nos Centros Educacionais Unificados da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo.
SALLOMA SALOMÃO – Músico, pesquisador, africanista e Doutor em História Social pela PUC São Paulo, Pesquisador-educador, letrista, vocalista e flautista. Foi pesquisador visitante do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, pesquisando culturas musicais africanas nos Brasil.
MEDIAÇÃO: MARILU CARDOSO – Doutorada em História – PUC/SP. Desenvolveu pesquisa sobre a relação entre a arte e a Indústria Cultural Brasileira. Tem experiência na área de História, com ênfase na Música Popular Brasileira e na formação continuada de profissionais da educação básica da Rede Municipal de Ensino de São Paulo.
 
No Sesc Campo Limpo (R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo)
19h – Sarau da Cooperifa.
20h – Encontros poéticos, com Sergio Vaz e Criolo
 

Sexta, 09 de novembro

Na Fábrica de Cultura do Jardim São Luiz (R. Antônio Ramos Rosa, 651)
14h – Debate “Educação e emancipação: valorizando a diversidade”, com um bate-papo sobre as formas de promoção de uma educação voltada para a emancipação e para a construção de um olhar positivo sobre a diferença. Participam:
PATRICIA ANUNCIADA – Professora e pesquisadora de feminismo e literatura africana e afro-brasileira.
CAROLINA TELES – Pedagoga e mestre em Educação. Professora de Educação Infantil. Dedica-se a pesquisar sobre relações raciais, infâncias e práticas pedagógicas.
MEDIAÇÃO: ACACIO BATISTA – Formado em Letras pelas USP em 2010. Atualmente trabalha como professor de língua portuguesa nas redes públicas estadual e municipal de São Paulo.
 
16h – Debate “Protagonismo afro e periférico: literatura como resistência e superação”, com a participação de:
AKINS KINTE – É poeta articulador cultural, foi arte educador na Fundação casa, organizou duas antologias com os adolescentes em cumprimento de medida sócio educativa. Dirigiu três filmes, seu trabalho mais recente foi o livro InCorPoros- Nuances de Libido.
DONA EDITE – Sarau da Cooperifa.
MARCIO BARBOSA – É escritor, pesquisador e militante do movimento negro. Formado em Filosofia pela USP, atua profissionalmente na indústria editorial. Um dos coordenadores do Quilombhoje e da organização da Série Cadernos negros.
 
18h – Música – Pocket show de Bráu Mendonça

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Abertura da Mostra Cultural da Cooperifa de 2013. (Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)


19h – Debate “Literatura periférica e crítica literária”, com a participação de:
ÉRICA PEÇANHA – Antropóloga e professora contratada da USP, com uma trajetória de pesquisa ligada à produção cultural da periferia. Autora do livro Vozes marginais na literatura e coautora de Polifonias marginais.
RAFA IRENO – Doutorando no programa de pós-graduação em Literatura Brasileira da USP, em que estuda as relações entre poesia e política. Também é escritor da Zona Sul de São Paulo. Autor do fascículo Corpo Extranho lançado em 2015.
MEDIAÇÃO: SACOLINHA – Escritor, formado em Letras, trabalha o incentivo à leitura. Desenvolve palestras em escolas públicas do estado de São Paulo. Criou o projeto “Literatura e Paisagismo – Revitalizando a Quebrada” que tem por objetivo a intervenção em espaços públicos com literatura, grafite e o plantio de árvores.
 
21h – Show de Fernando Anitelli (Teatro Mágico)
 

Sábado, 10 de novembro

Na Fábrica de Cultura do Jardim São Luiz (R. Antônio Ramos Rosa, 651)
16h – Debate “Periferia empreendedora e inovadora”, com a participação de:
MONIQUE EVELLE – Uma das vozes do feminismo negro no Brasil e fala da veia empreendedora nas mulheres negras. Fundadora da Desabafo Social, integrante da Red Latinoamericana de Innovación Política e colunista.
ADRIANA BARBOSA – Empreendedora e fundadora da Feira Preta, o maior evento de Cultura e Empreendedorismo Negro da América Latina Presidente do Instituto Feira Preta, formada em gestão de eventos, com especialização em gestão cultural.
MEDIAÇÃO: RODRIGO KENAN – Designer Gráfico, integrante da Cooperifa, formou-se pela IED SP (Istituto Europeo di Design) é um dos vencedores do projeto Design For Life.
 
18h – Debate “Memórias e Imaginários: o que é o jornalismo nas periferias”, com a participação de:
ALINE RODRIGUES – Gestora de narrativas e co-fundadora do coletivo de Comunicação Periferia em Movimento. Jornalista, educomunicadora e intérprete de Libras.
RONALDO MATOS – Formado em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo. Uns dos criadores do coletivo de comunicação Desenrola E Não Me Enrola. Realizar o Você Repórter da Periferia, programa anual de formação de jovens comunicadores populares.
MEDIAÇÃO: JULIA REIS – É repórter da Agência Mural de Jornalismo das Periferias. Cursa Jornalismo na Universidade Mackenzie, o. É musicista. A repórter colaborou com a terceira edição do livro “Mestres da Reportagem” e escreve para a VICE Brasil.
 
20h – Teatro “Agosto na cidade murada”, com Salloma Salomão e as Profetas do Após Calypso. Uma tragicomédia em forma de filme-quadrinho-teatro-musical. Últimos suspiros da cultura pop e da música engajada, numa poética e musicalidade afro-rock. Um desenho caótico de um mundo urbano saturado de ultra-realismo.
 

Domingo, 11 de novembro – encerramento

Na Praça do Campo Limpo (R. Dr. Joviano Pachêco de Aguirre, 30 – Jardim Bom Refugio)
15h – Exposição “Metal-Morfose”, do artista Casulo. Procura conscientizar as pessoas, no intuito de alertar para que possamos ressignificar e refletir sobre o descaso que a mãe natureza vem sofrendo.
Shows de Odair José, Tássia Reis, Lino Krizz e Paulo Miklos, com DJ Zeca nos intervalos.

Autor

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Comente usando o facebook

Nosso manifesto:

Nossas redes sociais:

Notícias recentes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira também

Posts relacionados:

Apoie!
Skip to content