Foto em destaque: Instituto Fundão

Diante da omissão dos governantes na crise da pandemia, moradores de periferias se mobilizaram para garantir o mínimo para sobreviver: da doação de alimentos a campanhas de conscientização, a auto-organização que já é comum nas quebradas foi fundamental para amenizar os impactos nesse período.

E com a necessidade do distanciamento social, precisamos adotar práticas para manter a saúde mental, os cuidados com o corpo e as relações com crianças, gestantes e idosos, assim como identificar potenciais situações de violência. Diante do luto, precisamos encontrar forças para lidar e superar a dor.

Confira como a Periferia em Movimento pautou as redes de solidariedade e iniciativas de autocuidado em 2020 em 1 minuto:

E abaixo, você confere as principais matérias publicadas sobre isso:

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: