2018 na memória, 2019 no radar Depois de um ano intenso e desafiador, paramos pra refletir e voltar com tudo no aniversário de dez anos de atuação da Periferia em Movimento. Relembre com a gente o que foi notícia por aqui!

Caraca, que ano foi esse? Fala sério! 2018 foi intenso, caótico, revelador… Começamos perseguidos, terminamos com algumas derrotas, mas com a certeza de que estamos do lado certo da história.

Por aqui, seguimos resistindo para combater a concentração da mídia e para ter nossos direitos garantidos sendo quem somos. Em 2019, quando a Periferia em Movimento completa dez anos de atuação como produtora de jornalismo de quebrada, continuamos no front.

Confira nossa mensagem de fim de ano:

 

Dona Zuleide, uma das entrevistadas do projeto “Saberes da Natureza”, em escambo periférico no Recife (Foto: Periferia em movimento)

Produzimos mais de 30 reportagens e artigos próprios, entre vídeos, textos e mapas, além de publicarmos mais de 100 notas diárias, buscando dar visibilidade a quem está na frente de luta pela garantia de direitos nas quebradas – principalmente aqui no Extremo Sul de São Paulo, onde nascemos, atuamos e estamos articulados. Com isso, chegamos a uma média de 100 mil pessoas por mês em nossos canais – site, redes sociais e Youtube –, no âmbito dos projetos #NoCentroDaPauta, Saberes da Natureza e Bike-Jornalismo de Quebrada, apoiados respectivamente por Fundação Tide Setúbal, Purpose e Fundo de Ações Locais (FAL).

NoticiMapa – oficinas de jornalismo e mapeamento por meio do programa Agentes de Governo Aberto, da Prefeitura de São Paulo

Ainda é pouco, certo? Por isso apostamos na democratização da mídia na prática, promovendo cursos, oficinas, palestras e vivências sobre periferias, comunicação e direitos humanos. Ao todo, foram mais de 100 horas de encontros de aprendizagem em diferentes lugares de São Paulo com envolvimento direto de mais de 120 pessoas de todas as idades (especialmente adolescentes estudantes de escolas públicas), que discutiram e produziram conteúdos próprios, além de palestras e debates acompanhados por mais de 200 pessoas. Esses encontros foram realizados em parceria com os Sescs Consolação, Santo Amaro e Osasco, além do programa Agentes de Governo Aberto da Prefeitura.

E seguimos articulados com coletivos e movimentos do Extremo Sul da cidade e também de outras pontas, em fóruns e redes diversos. Em 2018, particularmente, participamos da produção de conteúdo da pesquisa Emergência Política Periferias, do Instituto Update; da curadoria do festival Red Bull Amaphiko, no Grajaú; e do projeto Usina de Valores, liderado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Relembre o que foi destaque em nossos canais:

 

Participe de nossa pesquisa de opinião!