Prêmio Vladimir Herzog reconhece trabalhos jornalísticos em defesa dos direitos humanos

Prêmio Vladimir Herzog reconhece trabalhos jornalísticos em defesa dos direitos humanos

Periferia em Movimento

Periferia em Movimento

Confira lista dos vencedores em 6 categorias. Premiação acontece no domingo (25/10)

No último sábado (17/10), aconteceu o júri que escolheu os vencedores do 42ª edição do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos em 6 categorias: arte, fotografia, produção jornalística em texto, em áudio, em vídeo e multimídia. Neste sábado (24/10), das 16h às 20h, os premiados participam de uma roda de conversa sobre os trabalhos realizados. E no domingo (25/10), às 18h, acontece a solenidade de premiação. Os 2 eventos serão exibidos pelo youtube.

Considerado entre as mais significativas distinções jornalísticas do País, o Prêmio Vladimir Herzog tem abrangência nacional e reconhece, ano a ano, trabalhos que valorizam a Democracia e os Direitos Humanos. . A Periferia em Movimento compõe a comissão organizadora do Prêmio.

Quem foi premiado

Na categoria “Arte”, a cartunista Laerte foi escolhida pelo trabalho Infernópolis na Folha de S. Paulo. Confira aqui a matéria. A menção honrosa ficou para E daí?, aqui.

Em “Fotografia”, Yan Boechat venceu por fotos de óbitos por covid-19 que aconteceram dentro de casa, em Manaus. Matéria do jornal O Globo aqui. E Gabriela Biló recebeu menção honrosa pela foto Presidente Viral, no O Estado de S. Paulo. Confira aqui a matéria.

Em “Áudio”, Tiago Rogero foi premiado pelas Histórias de Mercedes Baptista, Consuelo Rios, Bethania Gomes e Ingrid Silva, no jornal O Globo. Matéria aqui. E Juliana Dantas recebeu menção honrosa por Confinamento 3 meses depois, no Finitude. Confira aqui.

Em “Vídeo”, a equipe do Fantástico foi premiada pela matéria Os defensores da floresta. Veja aqui E a menção honrosa ficou com a equipe da TV Globo Minas pelo Rolê nas Gerais. Matéria aqui.

Na categoria “Multimídia”, o site Repórter Brasil foi premiado pela matéria sobre ameaças, milícia e morte no Velho Chico. Confira aqui. E o The Intercept Brasil recebeu menção honrosa por Arsenal Global aqui.

Em “Texto”, a equipe da Agência Pública foi premiada pela matéria sobre o FBI e a Lava-Jato. Veja aqui. E Amanda Rossi recebeu menção honrosa pela matéria Fragmentos de vida e morte, na Revista Piauí. Confira aqui.

Por fim, o prêmio destaque fica para “Crime continuado (Aroeira)”, em homenagem às 109 peças inscritas nessa 42ª edição por artistas do traço integrantes do movimento da Charge Continuada #SomosTodosAroeira.

Quem faz?

O 42º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos é promovido e organizado por uma comissão constituída pelas seguintes instituições: Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ; Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo; Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo; Associação Brasileira de Imprensa – ABI; Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – ABRAJI; Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil – UNIC Rio; Periferia em Movimento; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP; Instituto Vladimir Herzog; Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Nacional, Ordem dos Advogados do Brasil – Secção São Paulo; Conectas Direitos Humanos; Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo e Sociedade Brasileira dos Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom.

Autor

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Comente usando o facebook

Nosso manifesto:

Nossas redes sociais:

Notícias recentes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira também

Posts relacionados:

Apoie!
Skip to content