Foto em destaque: Agência Brasil

O Brasil tem mais de 750 mil pessoas em privação de liberdade. Depois de passar pelo cárcere, a retomada da vida em comunidade não é tão simples. Por isso, a Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio apresenta o projeto “Fim da Tranca: a voz do egresso”.

O projeto é voltado principalmente a pessoas que vivem nos territórios de atuação da Rede na Grande São Paulo: Mauá, Jaraguá, Taipas, Butantã, Capão Redondo, Jardim Ângela, Campo Limpo ou São Mateus. Para participar, é necessário preencher o formulário clicando aqui.

O objetivo é apoiar pessoas egressas no acesso a políticas públicas de garantia de direitos fundamentais e direitos específicos à situação de quem deixou o sistema prisional. Dessa forma, o projeto visa a inserção na vida familiar e comunitária, a inclusão nos sistemas de educação formal e na formação para o trabalho, além da busca por emprego ou geração de renda.

A iniciativa também quer aplicar formações em direitos humanos e engajamento político dessas pessoas, para que elas se tornem agentes em atuação contra o ciclo de reencarceramento em seus territórios.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: