Com cesta básica nas costas, periféricos apontam para um “novo normal” com direitos garantidos

Em regiões com altos índices de vulnerabilidade social na cidade de São Paulo, solidariedade faz a diferença em meio à crise do coronavírus. E quem tá na linha de frente destaca: vamos cobrar políticas públicas

Quebra das Ideias: Dos povos das florestas às periferias urbanas, como construir perspectivas de futuro em um cenário de aparentes escombros?

O que esperar de 2020 – Com Olívio Jekupé, da aldeia guarani Krukutu, e Glória Maria, de Paraisópolis

Na semana dos Direitos Humanos, Paraisópolis marcha contra o genocídio

Outras atividades abordam questões das mulheres negras e periféricas, violência e prisões sem provas

EDITORIAL: No Baile da DZ7 e todos os dias do ano, o Estado racista persegue, encurrala, pisoteia e mata a gente

Opinião da Periferia em Movimento

#QuebradaGourmet: Bistrô Mãos de Marias fortalece mulheres em Paraisópolis

Conheça iniciativa de Associação de Moradores

Barraca especializada em acarajé no começo de Paraisópolis

Antes vendedora de acarajé na Bahia, Teomila chegou em SP em 2012, e em 2014 abriu o Point do Acarajé.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: