No sábado, conferência discute políticas públicas, feminismo e ancestralidade das mulheres negras Das 10h às 18h, a II Conferência Nega Odara reúne o público no CEU Caminho do Mar para rodas de conversa, oficinas e apresentações culturais

Nesse sábado, 25 de março, acontece a II Conferência Nega Odara no CEU Caminho do Mar. Serão discutidos ancestralidade da mulher negra e a relação com o feminismo e políticas públicas.

Sarau das Pretas: ancestralidade, música e poesia em Parelheiros Parte da programação da Caravana Juventude Viva, mulheres negras percorrem bairros com apresentações artísticas

Parte da programação da Caravana Juventude Viva, mulheres negras percorrem bairros com apresentações artísticas. Nesta sexta-feira (07/10), é no Extremo Sul

Por direito à fé, neste domingo é lançado o Fórum de Cultos de Matrizes Africanas no Campo Limpo

Foto: Divulgação

O Fórum busca reunir em um único espaço as lideranças e pessoas envolvidas nas matrizes afro-brasileiras e africanas e, dessa forma, se autoafirmar e tornar públicas as lutas e vivências dos povos tradicionais de terreiros.

Saraus Afrobase e da Madrugada: música, poesia e ancestralidade

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

O Sarau Afrobase acontece nesta quarta, no Rio Pequeno. E na sexta, tem Sarau da Madrugada na zona Sul. Confira

Casa Rizoma exibe filme sobre natureza, tecnologia e relações pessoais

Numa sucessão de imagens e sons modificados digitalmente, Godfrei Reggio mostra a tecnologia no mundo contemporâneo de forma direta e poética ao mesmo tempo

Razallfaya: uma banda no centro das conexões com as próprias raízes

Do Grajaú à Bahia. Da Bahia à África. E de lá, de volta ao Grajaú: a descoberta da própria história é constante na vida de Alan Zas, da banda Razallfaya

Expoente da capoeira paulista, Mestre Caranguejo lança segundo disco

Lançado em abril, o álbum resgata as antigas cantigas, rimas e marcações do samba de roda, berimbau de barriga, entre outras tradições musicais afro-brasileiras.

Dreadlocks para cultivar os cabelos crespos – e as raízes africanas

(Foto: Divulgação)

Mais do que a questão estética, para Peteca Dreads utilizar os dreadlocks são um ato político: “É uma forma de preservar minhas raízes”.

Música contra o racismo: Coletivo Malungo faz oficina de produção musical

O objetivo é promover a apropriação e autonomia para a produção e estimular mais canções de enfrentamento e resgate da ancestralidade.