Foto em destaque: Agência Brasil

O Brasil tem mais de 750 mil pessoas em privação de liberdade. Depois de passar pelo cárcere, a retomada da vida em comunidade não é tão simples. Por isso, a Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio apresenta o projeto “Fim da Tranca: a voz do egresso”.

O projeto é voltado principalmente a pessoas que vivem nos territórios de atuação da Rede na Grande São Paulo: Mauá, Jaraguá, Taipas, Butantã, Capão Redondo, Jardim Ângela, Campo Limpo ou São Mateus. Para participar, é necessário preencher o formulário clicando aqui.

O objetivo é apoiar pessoas egressas no acesso a políticas públicas de garantia de direitos fundamentais e direitos específicos à situação de quem deixou o sistema prisional. Dessa forma, o projeto visa a inserção na vida familiar e comunitária, a inclusão nos sistemas de educação formal e na formação para o trabalho, além da busca por emprego ou geração de renda.

A iniciativa também quer aplicar formações em direitos humanos e engajamento político dessas pessoas, para que elas se tornem agentes em atuação contra o ciclo de reencarceramento em seus territórios.

Participe da discussão

1 comentário

  1. Muito legal essa iniciativa. Conheço um rapaz que passou pelo sistema prisional e tem dificuldade de conseguir emprego. É um cara muito legal que conheço desde criança quando atuei em abrigo de crianças.
    Vou passar pra ele.
    Vou também fazer uma pequena doação.
    Obrigada

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: