Foto em destaque: Fabio Piva

Com shows, debates, oficinas e feiras de alimentação e empreendedorismo local, a terceira edição do Festival Red Bull Amaphiko de inovação social movimenta o Centro Cultural Grajaú. É a primeira vez que o evento sai do centro de São Paulo e se desloca para o Extremo Sul da cidade.

Aline Rodrigues, da Periferia em Moviment (Foto: Fabio Piva)

Com a intenção de reunir, fortalecer e celebrar as potências que já existem na quebrada, o festival que acontece entre sábado e domingo (15 e 16 de dezembro) contou com a curadoria de iniciativas que atuam no território (na foto em destaque): além da Periferia em Movimento, estão os coletivos Nois por Nois, Imargem, Ecoativa, Abebé, além do produtor independente Leandro Sequelle.

Entre as atrações musicais, roda de samba com integrantes dos grupos Pagode da 27, Samba da Praça e outros da região. O coletivo Graja Minas convida a rapper Drik Barbosa para um show, e o evento se encerra com a festa de dancehall Jah!spora, com participação de Lei di Dai, criadora do projeto Gueto pro Gueto.

Durante os dois dias, a programação contará com oficinas de moda consciente, elaboração de projetos, autocuidado e permacultura; rodas de conversa com pessoas referência no empreendedorismo (como Adriana Barbosa, da Feira Preta), líderes locais (como Jera Guarani, da aldeia Tenondé Porã) e a inauguração de uma pista de skate no Parque Linear Cantinho do Céu com o skatista Sandro Dias.

Confira a programação completa:

No sábado (15/12)

> 9h: inauguração da pista de skate no Parque Linear Cantinho do Céu, com o skatista Sandro Dias

 

No Calçadão Cultural do Grajaú

> 11h00 – 11h30: Apresentação com grupo de capoeira Semente do Jogo de Angola

> 11h30 às 19h: Feira de alimentação saudável com produtos orgânicos locais; e Feira de empreendedores locais, com gastronomia, artesanato e moda

> Intervenções:

Lixeiras-obra, lixeiras unindo estética, utilidade e reutilização de materiais

Barco à vela, projeto Navegando nas Artes: barco da iniciativa que promove vivências náuticas na Represa Billings

Painéis de grafite com o coletivo Imargem

Ambulante Marginal: uma obra de arte móvel e multimídia

> 12h – 14h: Alimentando Pontes: troca de saberes com chefes de cozinha do lado de lá da ponte com chefes do lado de cá

> 14h30 – 16h: Debate-papo: deserto alimentar – Roda de conversa sobre a comercialização e acesso à alimentação natural e orgânica nas quebradas

No cinema do Centro Cultural Grajaú

> 11h30 – 13h: Debate-papo – Reinventar para resistir: trajetórias de quem vive do que acredita e a importância de se reinventar no meio do caminho. Com Salloma Salomão, Dorothy de Souza e Jerá Guarani. Mediação de Cristiane Rosa

> 14h – 15h30: Papo-reto – Extremo Sul: identidades, território e resistência. Papo com quem está por trás das iniciativas e como percebem as suas atuações no território. Com Pantcho’s Hamburgueria, Espaço Cultural Cazuá, A Bordar Espaço Terapêutico, Escritureiros, Perifeminas e Navegando nas Artes

> 15h30 – 16h: Debate-papo – Skate na quebrada com Sandro Dias e Douglas Fontes

Asê Ylé do Hozooane, terreiro de Candomblé e centro de cultura afro-brasileira de Parelheiros (Foto: divulgação)

> 16h – 17h: Papo-reto – Extremo Sul: identidades, território e resistência, com Espaço Boom Box, Jerry Batista, Cooperpac, Asé Ylê do Hozooane e Quebramundo

> 17h – 17h30:  Documentário “O Olhar do Trabalho – A Outra Face do Lixo” – Núcleo Pele

> 17h30 – 19h: Debate-papo – Redes que fortalecem o trampo: Como as redes se formam e quais os desafios para mantê-las unidas por um objetivo comum. Com Ciléia Biaggioli (Teatro Rocokóz), Adriana Barbosa (Feira Preta) e Leandro Sequelle.

 

No Saguão do Centro Cultural Grajaú

> 11h – 19h: Exposições – Imargens Humanas (Imargem) e O Poder do Feminino (Abebé)

 

No Teatro do Centro Cultural Grajaú

> 14h – 16h: Oficina – Como tirar sua ideia do papel: estruturar projetos com metodologias facilitadas, aplicativos e ferramentas acessíveis

> 17h – 19h: Oficina – Audiovisual para todos: técnicas do cinema de maneira facilitada, em busca do empoderamento tecnológico

 

Na Sala Vermelha do Centro Cultural Grajaú

> 14h – 16h: Oficina – Saberes ancestrais: vivência afro-indígena e socioambiental sobre natureza, pessoas e sustentabilidade.

> 17h – 19h: Oficina – Constelação familiar: Introdução aos conceitos dessa reveladora e potente técnica de ressignificação de sentimentos.

No domingo (Dia 16/12)

No Calçadão Cultural do Grajaú

> 11h30 às 21h: Feira de Alimentação Saudável: Produtos orgânicos, artesanais da gastronomia grajauense; e Feira de empreendedores locais: gastronomia, artesanato e moda
No Calçadão (Palco)

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)
Roda de samba Pagode da 27 acontece todos os domingos, no Grajaú, Extremo Sul de São Paulo. (Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

> 12h – 13h: Roda de samba – Guga Samba e Cia convida Edynho Oliveira, Carlos Café (100 kaô/Emicida), Ricardo Rabello (Pagode da 27), Gustavo Silva e Renato Idalino (Samba da Praça Grajaú)

> 14h30 – 15h30: Aula de dança com Flora Bitancourt (Movimentarte), Lucas Santos (Favela em Dança) e Rubens Oliveira (Gumboot). Três empreendedores sociais que utilizam estilos de dança diferentes em seus projetos.

> 17h30 – 18h30: Graja Minas convida Drik Barbosa

> 20h – 21h30: Festa Jah!spora convida Lei di Dai – Festa que celebra a diversidade com os ritmos dancehall, afrobeats, hip-hop e funk. Convidam a cantora Lei di Dai, referência do dancehall brasileiro e fellow Red Bull Amaphiko com o projeto Gueto pro Gueto.
No Calçadão (Arena)

> 11h – 12h: Contação de História – Com projeto De Canto em Canto – De Conto em Conto

> 13h30 – 14h30: Um show de variedades Palhacísticas. Com Teatro de Rocokóz

> 16h30 – 17h30: Sarau das Pretas

> 19h – 20h: Batalha de conhecimento com Grajaú Rap City

No jardim do Teatro do Centro Cultural Grajaú

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento
Plantação de alimentos orgânicos na Ilha do Bororé (foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

> 11h – 12h: Oficina – Permacultura urbana: introdução a técnicas de permacultura urbana com foco para pequenos espaços como compostagem, hortas e cisternas.

> 13h – 14h: Oficina – Ginecologia natural: Saúde feminina e ferramentas para buscar autoconhecimento, autocuidado e autonomia.

> 14h30 – 15h30: Debate-papo – Permacultura na Quebrada: coletivos periféricos e suas perspectivas na busca por qualidade de vida.

> 16h – 17h: Oficina – Como empreender sem enlouquecer: dicas para manter a saúde mental e se cuidar na montanha russa do empreendedorismo.

 

No Saguão do Centro Cultural Grajaú

> 11h – 19h: Exposições – Imargens Humanas (Imargem) e O Poder do Feminino (Abebé)
Na Sala Vermelha do Centro Cultural Grajaú

> 11h30 – 12h30: Oficina de confecção de acessórios com materiais descartados

> 13h – 14h30: Oficina – Estética afro-indígena: técnicas sustentáveis e acessíveis para criar uma rotina de cuidados com a pele

> 15h30 – 17h: Oficina – Moda consciente: a moda de forma criativa e sustentável, suas manifestações práticas, o garimpo e a rede de brechós do território

A gestão de resíduos será feita pela Cooperpac, que também irá educar e conscientizar o público sobre a diferença entre lixo e resíduo

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: