Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Com presenças de Haddad e Edi Rock, Cooperifa encerra 6ª Mostra Cultural

“Nunca fui a um sarau, mas já sabia o que era. A Cooperifa é famosa”, declarou Fernando Haddad, em entrevista exclusiva ao Periferia em Movimento.

O prefeito surpreendeu cidadãos ao comparecer ao encerramento da 6ª Mostra Cultural da Cooperifa, realizada no último domindo (27/10), em Piraporinha, zona sul de São Paulo.

De fato, a Cooperifa é famosa – talvez o maior expoente do que se denominou “cultura periférica”, à qual Haddad promete maior apoio da prefeitura.

Após oito dias de eventos, a Cooperativa de Cultura da Periferia encerrou mais uma mostra na Casa Popular de Cultura do M’Boi Mirim.

Entre as atrações, esteve o rapper Edi Rock – integrante do grupo de rap Racionais MC’s.

“Eu vejo o trabalho muito forte da Cooperifa, que começou num boteco e só tende a aumentar. Foi se espalhando e criando uma estrutura, inspirando outros projetos”, disse ele, que está em turnê de seu disco solo. “Contra nós ninguém será”.

“Eu acho que a gente (Racionais) participou disso, deu uma força para o que está acontecendo hoje”.

A série de apresentações começou com o Grupo de Capoeira Angola Irmãos Guerreiros, fundado há 30 anos em Taboão da Serra (SP) por três irmãos baianos que, ao chegar a São Paulo, notaram a inexistência de grupos de capoeira na cidade.

Desde 1983, mais de mil pessoas passaram pelos Irmãos Guerreiros, que hoje têm presença em outros municípios, como Carapicuíba, Embu das Artes e Cotia, além do exterior – Alemanha, Áustria e Portugal.

“Também trabalhamos o samba de roda, o maculelê e, dentro do nosso projeto social, fazemos várias palestras, reforço escolar para crianças, brincadeiras de rua, etc.”, diz Mestre Marrom.

CONFIRA FOTOS DA MOSTRA CULTURAL DA COOPERIFA:

Este slideshow necessita de JavaScript.


Aclamados

Artistas consagrados da MPB, Chico César e Zeca Baleiro cantaram grandes sucessos. Outra atração foi Izzy Gordon, filha de Dave Gordon e sobrinha de Dolores Duran.

Com influências de Maria Bethania e Elis Regina, Izzy interpretou músicas de Ray Charles, Tim Maia e Criolo, entre outros.

A cantora de timbre forte, que entrou no universo musical aprendendo jazz, se considera uma ponte entre mundos diferentes. Não à toa, com 20 anos de carreira, Izzy escolheu começar sua turnê pela Cooperifa.

“A poesia auxilia no repertório, mas mais que isso inspira pra tocar a vida a cada segunda-feira”, encerrou.