Após 30 anos de luta, comunicadores das quebradas ainda passam perrengue pra trampar

Pesquisa identifica que, desde o início dos anos 1990, iniciativas pautam o direito à comunicação nas periferias de São Paulo. Mas 80% dos trabalhadores não têm essas iniciativas como único trabalho

Pesquisa apresenta o mapa do jornalismo nas periferias de São Paulo

Estudo foi produzido por coletivos de comunicação atuantes e originários das quebradas

Nudes vazados nas redes: uma questão de gênero que é anterior à internet

A disseminação de fotos íntimas sem consentimento é prática antiga de uma cultura machista

Contra enchentes, mutirão “testa” jardim de chuva no Grajaú

Neste domingo (18 de agosto), grupo de ativistas e coletivos locais promovem ação em área inundável da região

Sonhos de Juventude: a crença no futuro em meio ao presente de dúvidas

Reportagem que faz parte do projeto #NoCentroDaPauta

De que forma a cor da pele afeta o acesso à escola?

O Brasil levou 30 anos para que a proporção de negros com ensino básico completo fosse igual ao patamar que a população branca já tinha atingido em 1980.

#QuebradaGourmet: Bistrô Mãos de Marias fortalece mulheres em Paraisópolis

Conheça iniciativa de Associação de Moradores

Matriarcas: No bairro das mães solo, Marina Amparo adotou 58 crianças para dar uma família a elas

Conheça a história de Dona Marina Amparo

Infância na Quebrada

Por Lucimeire Juventino, escritora, pedagoga e moradora do Grajaú

A quebrada é meu parquinho

Reportagem do projeto #NoCentroDaPauta aborda direito de brincar nas periferias

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: