Nas quebradas, a literatura chega de busão

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento

Em toda cidade, 12 ônibus equipados com um acervo de 1.000 livros infanto-juvenis e adultos, além de jornais e revistas, percorrem os extremos paulistanos

Diversidade e força da cultura da quebrada em “Orfeu Mestiço”

Foto: Daniel Pascowitch

Fragmentos, histórias e memórias. Histórias de Orfeu e Eurídice, de Elisabete e Amarildo. Memórias deslocadas do tempo que se tornam histórias anônimas. Obra de arte, denúncia, tentativa que poderia se dizer estéril, não fosse a resistência, não fosse a expressão da inconformidade. Tudo isso na peça que abriu o Encontro Estéticas das Periferias de 2013.

“Desterro”: literatura periférica em quadrinhos

Reprodução/Desterro

Um é autor de “Capão Pecado”, clássico da literatura periférica. O outro é conhecido pelas reportagens publicadas em formato de quadrinhos. Juntos, eles criaram “Desterro”, que traça a dura vida nas quebradas paulistanas em história em quadrinhos. Para falar sobre essa experiência, o escritor Ferréz e o quadrinista Alexandre De Maio estiveram na última sexta (30 de agosto) na Fábrica deContinue lendo “Desterro”: literatura periférica em quadrinhos

Sem temor, as quebradas se apropriam das novas mídias

O que explica a proliferação de lan houses no início da década em qualquer quebrada do Brasil, com acesso à internet e imensas possibilidades a R$ 2 a hora?

Literatura marginal vira tema de estudos na Argentina

“Sarau era uma prática que havia sumido há mais cem anos no meu país”, contou Lucia Tannina, durante o seminário “Estéticas das Periferias”.

Quem são os intelectuais das periferias?

“Agora que falamos por nós, o que os intelectuais vão fazer? Que comam brioches”.

A periferia tão longe e tão perto

Coordenador de cultura da ONG Ação Educativa observa que a Cidade de São Paulo segrega a periferia socialmente, economicamente, esteticamente.