Pingo de Fortaleza e o desafio de disseminar a arte da “periferia da periferia”

Para o artista cearense, arte de seu estado ainda é de difícil acesso tanto para seus conterrâneos, quanto para eixo Rio-SP.

Do Brasil ao México, literatura dos porões da sociedade marca território

Descontraído e informal. Esse foi o clima do evento que aconteceu na tarde de quinta-feira (29), no Centro Cultural São Paulo. Estavam presentes Alejandro Reyes, autor mexicano de “Vozes dos Porões: a literatura periférica/marginal no Brasil”, e Allan da Rosa, que escreveu “Pedagoginga, Autonomia e Mocambagem”. Ambos os títulos foram publicados pela Editora Aeroplano, dentro da Coleção TramasContinue lendo Do Brasil ao México, literatura dos porões da sociedade marca território

Futebol e periferia: entre a alienação, identidade e luta social

Na periferia de São Paulo, com forte da várzea, moradores levantam um questionamento: é possível tornar o futebol um elemento de luta social?

“Caminhamos para a antropofagia brasileira”, diz Wesley Noóg

Foto Divulgação

“É diferente da Semana de 22 , em que faziam antropofagia europeia, americana. Nós estamos fazendo a antropofagia de nós mesmos.”

Quando a cultura negra se projeta no mercado

Pensar em cultura das periferias carece de uma reflexão além do já implícito fator social: a periferia tem uma esmagadora maioria afrodescendente.

Economia é papo de periferia

Foto Vanessa Condomi

O empreendedorismo não é exclusividade do mundo dos negócios ou da juventude que “quer mudar o país” e lota as faculdades de administração.

Financiamento e sustentabilidade, o desafio da cultura independente

Por Antonio Amaral, na revista Vaidapé Com um investimento total de R$ 8 milhões da Secretaria Municipal de Cultura, a Virada Cultural é o evento que mais abrange atrações e recursos direcionados ao setor cultural da cidade. O evento conta com as grandes atrações do momento e o público pode assistir a tudo isso de “graça” por todaContinue lendo Financiamento e sustentabilidade, o desafio da cultura independente

Criolo e o samba: o nó é na garganta

(Foto: Daniel Pascowitch)

Por Paulo Motoryn, na revista Vaidapé O álbum Nó na Orelha, de 2011, consagrou Criolo como um dos grandes nomes da música brasileira. Com um repertório eclético, indo do reggae ao clássico com a mesma destreza que atualmente transita pelo Brasil e pelo exterior apresentando seus shows, o músico finalmente atingiu o ápice de sua carreira. Na última sexta-feira, diaContinue lendo Criolo e o samba: o nó é na garganta

O graffiti, a rua e a estética da miséria

Lenços da Louis Vuitton com estampa grafitada pelos Gêmeos pode significar, para alguns, o triunfo da arte urbana. Para outros, é apropriação.

ZAP, um campeonato onde a poesia é vencedora

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Nesse slam de poesia criado em 2008 pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, quando se grita “1, 2, 3, ZAP!”, é hora de prestigiar os artistas-competidores.