#NossoBonde: “Os próximos 10 anos podem ser de muito crescimento para quem luta por direitos”

Alex Barcellos faz parte de nosso bonde!

Cortar na educação é aprofundar desigualdades, diz professor periférico de universidade federal da Zona Leste

O sujeito periférico é o indivíduo nascido e criado em uma periferia e que, a partir do entendimento dessa condição social e influência de ações culturais (do RAP aos saraus), passa a agir politicamente pra mudar sua própria realidade. Isso é o que defende a tese de Tiaraju Pablo D’Andrea, 39 anos, ele mesmo um “sujeito periférico” que agora age contra os cortes do governo de Jair Bolsonaro na educação.

Greve da educação: Como os cortes de Bolsonaro afetam as periferias?

Estudantes e pesquisadores com origens nas bordas da cidade estão na universidade pública com objetivo de devolver o conhecimento obtido para as quebradas. Mas temem pelas medidas do governo Bolsonaro

#NossoBonde: “Que a escola seja o lugar onde aprendamos a conviver, respeitando diferenças e reconhecendo a diversidade”

A professora Solange Amorim dirigiu a EMEF Sócrates Brasileiro, no Campo Limpo, por 10 anos

#NossoBonde: “As periferias têm muitas necessidades, mas também têm muitas riquezas”

Fundador da A Banca, DJ Bola é cria do Jardim Ângela e faz parte de #NossoBonde

Dez anos depois, Casa de Cultura de Parelheiros finalmente é inaugurada

Construído em 2009 pela Prefeitura de São Paulo, prédio destinado à cultura abrigava conselho tutelar. Coletivos culturais comemoram vitória em luta histórica

#NossoBonde: “Sou otimista por conhecer a nossa força enquanto povo periférico”

Cristiane Rosa é uma mulher negra e periférica do Grajaú na luta em diversas frentes. E, apesar da situação desesperadora, ela vê caminhos para resistência

#Matriarcas: Da vontade de estudar, ela lutou por escolas e virou professora

Conheça a história da professora Maria da Glória

#NossoBonde: “As crianças e jovens vão romper as barreiras das pontes”

Para Dona Eda Luiz, a busca por direitos nas periferias se fortaleceu nos últimos 10 anos. E o CIEJA Campo Limpo, escola pública que ela dirigiu por 20 anos e se tornou modelo de educação, é parte fundamental nesse processo. Extremamente otimista, como ela própria se define, ela acredita na construção de uma cidade mais humana e solidária daqui pra frente

#NossoBonde: “Que a gente exerça o poder em nosso próprio nome”

Douglas Belchior, professor e integrante da rede de cursinhos populares Uneafro, avalia a última e a próxima década na perspectiva das quebradas

× Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: