Foto: Aldo Augusto

“A periferia tem arcabouço cultural para compartilhar”, diz Sérgio Vaz

Por Aldo Augusto, do jornal Campo Limpo em Destaque

A periferia tem arcabouço cultural para compartilhar. Com este mote, Sergio Vaz e seus convidados apresentaram no domingo (20) um debate sobre produção literária da periferia. Em mais de uma hora, as conversas descontraídas serviram para inspirar as pessoas a perderem a timidez de se expressar e contar histórias originárias nas quebradas de maneira autêntica e visceral.

Os autores Marcelino Freire e Julio Ludemir relataram suas experiências com o ofício de escritor e lembraram que ainda há bastante resistência dos escritores intelectuais com a arte literária criada no subúrbio. A retórica da indignação intelectual de alguns autores e críticos renomados não se expressa em ações concretas em prol das comunidades carentes na visão de Marcelino Freire.

“Tem muito escritor que fica em Paris comendo croissant enquanto escreve, mas não esteve no Moinho, não agiu contra a injustiça cometida contra as favelas”, disparou Freire.

Após o debate, atrações musicais tomaram o palco do Teatro da Fábrica de Cultura. Mano PX, NSN e a banda Quarta Feira de Cinzas foram as atrações convidadas para encerrar o segundo dia da Mostra, que irá até o dia 27 e terá ainda muitas atividades em vários pontos da região.


CONFIRA FOTOS DA MOSTRA CULTURAL DA COOPERIFA

Este slideshow necessita de JavaScript.

Créditos das fotos: Aline Rodrigues, Joseh Silva, Paula Lopes Menezes, Thais Abade e Thiago Borges