Retomada: Cursinhos populares recebem inscrições para aulas presenciais e à distância

Retomada: Cursinhos populares recebem inscrições para aulas presenciais e à distância

Periferia em Movimento

Periferia em Movimento

Com a pandemia de covid-19, as dificuldades no acesso ao ensino virtual escancararam as desigualdades na educação brasileira. Mas o momento é de retomada dos espaços no ensino superior.

Foto em destaque: Rede Emancipa Grajaú

Com a pandemia de covid-19, as dificuldades no acesso ao ensino virtual escancararam as desigualdades na educação brasileira. As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), principal porta de acesso à universidade, despencaram 46% no período. Em 2020, foram 5,6 milhões de pessoas inscritas. Em 2021, 3,1 milhões. O número de pessoas pretas e pardas participantes diminuiu de 61,3% para 53,8% nesse intervalo.

Mas o momento é de retomada dos espaços no ensino superior.

Por prepararem jovens de periferias para prestar o vestibular e o Enem, os cursinhos populares são espaços estratégicos para garantir o direito à educação a todes. Por isso, a Periferia em Movimento indica algumas iniciativas que estão com as inscrições abertas nas modalidades presencial e à distância.

É o caso da Uneafro. Com 12 anos de atuação, mais de 15 mil pessoas impactadas e centenas que chegaram à universidade, o movimento está com 1.500 vagas abertas para o cursinho em 2022. Ao todo, são 30 núcleos localizados nos territórios periféricos de São Paulo e Rio de Janeiro – além da possibilidade de aulas à distância pelo Núcleo Virtual, que pode ser acessado de qualquer lugar do país.

As aulas são totalmente gratuitas e oferecidas em espaços comunitários com o compromisso de oferecer uma educação libertária e crítica, destinadas a jovens e adultes da comunidade negra e moradores de periferias. Para participar, faça sua inscrição clicando aqui.

Já a Rede Emancipa tem vagas abertas em 29 polos espalhados por 19 cidades de São Paulo, Ceará e Paraná. Para participar, é necessário acessar o site (clique aqui) e identificar o polo mais próximo. As inscrições são gratuitas e não adotam processo seletivo.

A Rede Emancipa se define como um movimento social de educação popular que luta pela democratização do acesso à universidade e por uma educação de qualidade, crítica e gratuita, contra as desigualdades econômicas, o racismo, o machismo, a LGBTQIA+fobia, em defesa do meio ambiente e da saúde pública.

Na zona Sul de São Paulo, o Cursinho Popular Construção atua desde 2018 formando jovens da região do Jabaquara e Cidade Ademar. As inscrições para a turma deste ano acontecem até 9 de março. As aulas, sempre aos sábados, começam no dia 12 de março. Inscreva-se aqui.

E o Cursinho Popular Transformação, que é exclusivo para pessoas trans, está se organizando para retomar as atividades presenciais em 2022. Para isso, o grupo está fazendo uma consulta para conhecer melhor os desejos e expectativas de pessoas interessadas em compor a turma.

Com previsão de retorno em março, as aulas devem ocorrer de segunda a sexta, no período noturno, no prédio da Ação Educativa – rua General Jardim, 660, Vila Buarque, no Centro de São Paulo. Acesse aqui.

Autor

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Comente usando o facebook

Nosso manifesto:

Nossas redes sociais:

Notícias recentes:

1 Comentário

  1. […] chamado Grito das Periferias foi articulado pela Rede Emancipa, um movimento de educação que mantém cursinhos populares em várias partes do Brasil. Nessa […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira também

Posts relacionados:

1 mês de aulas presenciais: Novas dificuldades se somam a problemas pré-pandemia, denuncia coletivo de educação da periferia

Infraestrutura precarizada, salas lotadas e falta de pessoal suficiente para trabalhar já eram problemas vividos no dia a dia da escola pública antes da pandemia de coronavírus. E com a volta às aulas totalmente presenciais, em fevereiro, o desafio ganhou uma nova camada de dificuldades com a necessidade de readaptação de estudantes, a defasagem na aprendizagem e os cuidados extras pra evitar a contaminação

Apoie!
Skip to content