Trânsito fora do radar Depois de enfrentar, de ônibus, moto ou carro, o trânsito nas grandes vias altamente monitoradas, fiscalizadas e planejadas, os periféricos ainda têm que lidar com dificuldades em seus bairros.

Com o aumento do crédito e o barateamento dos automóveis, os carros estão cada vez mais presentes em ruinhas e avenidas abertas sem infraestrutura adequada, sinalização de trânsito e fiscalização nas periferias de São Paulo. O assunto é recorrente em campanhas eleitorais e motiva obras faraônicas, mas os investimentos seguem a regra de se concentrar nas regiões nobres da cidade.

A consequência é que depois de enfrentar, de ônibus, moto ou carro, o trânsito nas grandes vias altamente monitoradas, fiscalizadas e planejadas, os periféricos ainda têm que lidar com dificuldades em seus bairros.

A repórter Gisele Brito conversou com alguns motoristas sobre os problemas que enfrentam num trânsito que, na maior parte das vezes, está totalmente fora do radar.

Esta reportagem faz parte do projeto #NoCentroDaPauta, uma realização dos coletivos Alma Preta, Casa no Meio do Mundo, Desenrola e Não me Enrola, Imargem, Historiorama, Periferia em Movimento e TV Grajaú, com patrocínio da Fundação Tide Setúbal.

Cerca de 30 reportagens serão publicadas até o final de outubro com assuntos de interesses da população das periferias de São Paulo em ano eleitoral. Acompanhe os sites e as redes sociais dos coletivos e não perca nada!