Na Cidade Ipava, trampo de base contra os riscos de sexo “no pelo” Com 23 anos de atuação no Jardim Ângela, ativistas da ONG Conviver é Viver driblam preconceito e falta de grana para conscientizar população - especialmente a garotada - sobre os riscos do sexo desprotegido

Com 23 anos de atuação no Jardim Ângela, ativistas da ONG Conviver é Viver driblam preconceito e falta de grana para conscientizar população – especialmente a garotada – sobre os riscos do sexo desprotegido

No meio do caminho, tinha um grafitaço contra o machismo

foto: Carolina Teixeira

Escadão no Grajaú é alvo de intervenção e denúncia de feministas contra exposição de fotos íntimas e xingamentos a meninas em mídias sociais como o WhatsApp