Genocídio: golpe permanente Independente da corrente que se sagrar vitoriosa na votação deste domingo, a gente sabe que vai seguir sangrando por aqui

Debate realizado no CEU Parelheiros, durante a programação do Mês do Hip Hop (Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Golpe: Independente da corrente que se sagrar majoritária na votação deste domingo, a gente sabe que vai seguir sangrando por aqui.

Atos lembram 462 anos de genocídio em São Paulo

Entre a matança indígena promovido pelos bandeirantes à escravidão dos negros, São Paulo se transformou na maior cidade do País. E o genocídio continua nos becos e vielas.

49 dias sem Yago Ikeda: “Foi morto por ser preto”

Moradores do Grajaú e familiares de adolescente morto por PM protestam contra o genocídio de jovens negros das periferias