Genocídio nas Américas: de um país a outro, vítimas do estado têm mesma cor e endereço

No continente americano, que concentra 43 das 50 cidades com as mais altas taxas de homicídios do mundo, as vítimas não têm apenas pouca idade: são em sua maioria descendentes de povos indígenas nativos e de africanos raptados e escravizados por europeus.

De Trump a Temer, o que aproxima as periferias negras norte-americanas às brasileiras? Em entrevista, Patricia Hill Collins fala sobre a formação do Black Lives Matter, sobre políticas públicas para mulheres negras, a nova onda de movimentos sociais e o papel do jornalismo cidadão no cenário político econômico e social atual

Nós do Periferia em Movimento, do Alma Preta e da Rede de Cursinhos Emancipa, conversamos com Patrícia Hill Collins sobre como as vivências de movimentos feministas negros/periféricos dos Brasil e EUA podem se complementar. Confira!