Foto em destaque: Guilherme Petro / Prato Firmeza / Enois

Já sabe o que vai fazer entre sábado e domingo? A Periferia em Movimento indica atividades para quem quer contato com a poesia, a música e a produção das quebradas do Sul paulistano – seja de alimentos ou de bens culturais.

Fruto típico da Mata Atlântica, há 10 anos o cambuci é celebrado na Rota Gastronômica de Parelheiros, no Extremo Sul paulistano. Realizado pelo Instituto Auá em parceria com uma dezena de municípios – São Paulo, Rio Grande da Serra, Santo André, Mogi das Cruzes, São Lourenço da Serra, Salesópolis, Paraibuna, Ribeirão Pires, Bertioga e Caraguatatuba –, o Festival é uma oportunidade para o resgate da cultura em torno do fruto nativo, a produção agroecológica e o comércio justo.

E neste sábado (09/11), das 11h às 23h, acontece a 10ª edição do evento em Parelheiros com exposição de produtores de 06 cidades. Durante o evento também haverá sorteios de produtos de cambuci, oficinas, palestras e intervenções artísticas na praça Julio Cesar de Campos. Saiba mais aqui.

A partir das 19h30, no mesmo local, começa a edição especial do Sarauê. O encontro tem participação de Fernando Silva (intervenção artística de dança); Élio Camalle (apresentação musical); microfone aberto e sorteio de brindes. Saiba mais aqui.

Sarau do Terror de 2016. Foto: Fábio Silvestre.

No mesmo dia, também em Parelheiros, acontece mais uma edição do Sarau do Terror na rua Sachio Nakao, 28, em Colônia Paulista. Saiba mais aqui. Promovido pela Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura, o sarau faz um tour pelo cemitério protestante do bairro para dialogar sobre a vida, a morte, a cultura e a religião.

Além disso, essa edição conta com o aquecimento para a 1ª Felipa (Festa Literária de Parelheiros), com artistas das áreas de dança, música e escrita expressarão a importância da literatura como fortalecimento cultural e comunitário de Parelheiros. A proposta é abordar a dimensão poética do slam e da contação da história como resistência literária. Às 11h30 tem oficina “Escrever para curar”, com Joziane Soares do Sarauê; às 14h, roda de conversa sobre resistência literária; às 15h, discotecagem com DJ Fox, seguido de batalha de slam; e às 17h, o tour pelo cemitério.

MMoneis (foto: André Bueno)

E pra fechar a noite de sábado, o rapper e articulador cultural MMoneis promove mais uma festa no espaço gastronômico MaracatuBR com objetivo de fomentar a cena do rap no Grajaú (Extremo Sul da capital paulista).

E como convidado, recebem Max Griot. Morador da região, teve contato musical em 2001 e participou de uma banda de reggae na época. Voltou à cena em 2010 e hoje tem trabalho solo e com a banda Ressonância.

A partir das 21h, na rua Pedro Escobar, 697. Saiba mais aqui.

Já no domingo (10/11), dá pra dormir até mais tarde e ainda chegar na ação da rede Nois por Nois com o Sesc Interlagos, que realizam a Com+Soma, um espaço de experimentação para trocas de saberes, falas e escuta. A proposta do espaço é continuar fomentando produções locais, criar novas possibilidades e oportunidades de integração entre histórias ao mesmo tempo em que estrutura e fortalece a rede de consumo periférico.

Evento “O Protagonismo É Sapatão”, que aconteceu em agosto de 2019 no A Bordar (Foto: Carolina Messias)

Entre 12h e 17h, acontecem várias ações, como um bate papo mediado por Barbara Terra com a participação do A Bordar Espaço Terapêutico (que promove o autocuidado entre mulheres periféricas) e a Revista Grajaú (que atua na produção de conteúdo marginal); roda de conversa com Nayla Aauri; oficina de abayomi, aula de dança e feira de empreendedores locais com moda, artesanato, estética e artes visuais. Lucimeire Juventino é a mestre de cerimônias.

O Sesc Interlagos fica na avenida Manuel Alves Soares, 1100, Jardim Colonial. Saiba mais aqui.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: