Resistência das mulheres Xavante é tema de reportagem vencedora do Prêmio Jovem Jornalista Material mostra que muitas xavante sofrem com a invisibilização étnica e de gênero, mas lutam por respeito e participação nas políticas que afetam a comunidade

Em 2018, o Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão selecionou, entre as pautas vencedoras, a produção de estudantes de jornalismo da Universidade Federal do Mato Grosso.

Em “Invisíveis”, reportagem escrita por Clea Torres, Fernando de Oliveira e João Paulo Fernandes, os estudantes mostram um retrato das realidades de Xavantes que vivem na região.

O produto mostra alguns efeitos de um tratamento colonizador do restante da sociedade sobre os Xavante, principalmente sobre as mulheres. A “dupla invisibilização”, étnica e de gênero, é um processo em fase de reversão graças à luta das guerreiras, como mostra o jornal.

Confira o resultado no link.

Prêmio Jovem Jornalista

Desde 2017, o Periferia em Movimento está na comissão avaliadora do prêmio, na missão de democratizar o espaço e incentivar produções periféricas no jornalismo.

Quer participar? Fica aqui o convite e incentivo para que em 2018 este prêmio esteja cheio de projetos de jornalismo das periferias do país!

Confira na página do Instituto Vladimir Herzog quais os 10 trabalhos vencedores do concurso!