Foto em destaque: Paulo Henrique Sant’Anna 

Quantas mulheres você conhece que são chefes de família? Quantas são chamadas de “mães solteiras”? Quantas não podem contar com a presença paterna para criar filhos e filhas?

A atriz, produtora, doula e estudante Cristiane Rosa passou 16 anos criando a filha Duda no Grajaú, Extremo Sul de São Paulo. Depois de todo esse período, resolveu externar as violências psicológicas sofridas e compartilhar sua história de vida e de outras mães que, assim como ela, não puderam contar com a figura do pai na criação das crianças.

Com a produção de um documentário e um livro de fotografias, o projeto “Eu quero ouvir Maria” retrata o protagonismo das mães-solo – tão comuns nas periferias – e de suas lutas políticas.

Neste domingo (25 de setembro), algumas delas se encontram no Centro de Cidadania da Mulher do Grajaú para trocar experiências em uma roda de bordados, utilizados como recurso poético e artístico para a criação coletiva.

Ajude uma mãe-solo

Na internet, o projeto realiza uma vaquinha on-line para ajudar Cristal (nome fictício), uma adolescente de 15 anos que está grávida de três meses e mora com a irmã de 19, que também tem um bebê de sete meses. Ambas estão desempregadas, sozinhas, dormem juntas em um colchão de casal e precisam de ajuda para garantir uma compra mensal de alimento e higiene pessoal, além do enxoval para o bebê de Cristal e para seu sobrinho. Saiba como contribuir aqui.

Participe da discussão

2 comentários

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: