Por passe livre no busão, estudantes vão às ruas contra Doria

Por passe livre no busão, estudantes vão às ruas contra Doria

Periferia em Movimento

Periferia em Movimento

Ato acontece nesta quarta (12 de julho), no Viaduto do Chá, em frente à Prefeitura; No último sábado (08 de julho), o prefeito de São Paulo cortou o período de viagens gratuitas concedidas a estudantes de baixa renda

Nesta quarta-feira (12 de julho), estudantes voltam às ruas para protestar contra as medidas do prefeito de São Paulo, João Doria, que reduziu o benefício do Passe Livre Estudantil. Convocado por diferentes grupos, como os Secundaristas em Luta (que protagonizaram ocupações de escolas em 2015) e a União Nacional de Estudantes (UNE), o ato tem concentração às 15h no Viaduto do Chá, centro da cidade.
No último sábado (08 de julho),Doria anunciou restrição de embarques no transporte público a dois períodos de duas horas cada a partir de agosto. Implementado por Fernando em Haddad em 2015, dois anos após as massivas manifestações por tarifa zero, o Passe Livre Estudantil garante a realização de até oito viagens gratuitas no transporte público a estudantes de baixa renda da rede pública de ensino fundamental, médio e técnico, além de universitários inscritos em programas como FIES e Prouni. Com as alterações feitas por Doria, os embarques ficam restritos a dois períodos de duas horas cada.
De acordo com a UNE, as mudanças “inviabilizam a passagem daqueles que moram longe dos centros e qualquer acesso à cidade, limitando a formação do estudante apenas às salas de aula e garantindo cada vez mais a exclusão da juventude dos espaços públicos”.
Os Secundaristas em Luta manifestaram que, “dessa forma, afastando cada vez mais aqueles que vivem nos extremos das cidades aos centros, além de limitar o conhecimento a salas de aulas e invisibilizar situações na realidade dos estudantes, como fazer ensino médio numa escola e técnico em outra”.
Apesar de não convocar diretamente o ato desta quarta, o Movimento Passe Livre (MPL) publicou nota em que chama a medida de ataque parcial às conquistas obtidas após as mobilizações dos últimos anos. “Mesmo com o aumento na integração e as cobranças de integração em alguns terminais, Dória fala que não aumentou a passagem. Indiretamente, ou com o governador Geraldo Alckmin fazendo o trabalho sujo para ele, o prefeito continua um projeto de elitizar cada vez mais São Paulo, talvez para que assim ele seja bem visto em Miami ou Dubai”, diz a nota.
Confira abaixo:

Autor

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Comente usando o facebook

Nosso manifesto:

Nossas redes sociais:

Notícias recentes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira também

Posts relacionados:

Apoie!
Skip to content