Foto em destaque: Lab NIP

Seja por meio de fomento público ou aperfeiçoamento do trabalho autônomo, programas que distribuem ou geram renda dão fôlego em meio à crise econômica – ainda mais em contexto de pandemia. Afinal, segundo o IBGE, em todo o País são mais de 14 milhões de pessoas desempregadas.

Por isso, a Periferia em Movimento destaca iniciativas que geram impacto social e econômico. Confira!

Fomento público

Considerada uma das mais importantes políticas públicas culturais de São Paulo, o Programa VAI (Valorização de Iniciativas Culturais) chega a sua 18ª edição e está com inscrições abertas para as modalidades 1 e 2.

O foco do programa é o apoio a atividades artístico-culturais, principalmente de jovens de baixa renda e de regiões da cidade desprovidas de recursos e equipamentos culturais. As propostas apresentadas para o edital podem ser vinculadas a quaisquer linguagens artísticas e às humanidades ou a temas relevantes para o desenvolvimento cultural e a formação para a cidadania cultural na cidade de São Paulo.

O VAI 1 é direcionado para coletivos jovens (até 29 anos) de baixa renda do município de São Paulo. Os projetos podem ter um custo de até R$ 47 mil cada um, com duração de até 8 meses. Cerca de 90 projetos serão contemplados nessa modalidade..

E o VAI 2 é voltado a grupos e coletivos compostos por jovens ou adultos de baixa renda, que tenham histórico de, no mínimo, 2 anos de atuação no município. Cada projeto deve ter um orçamento de até R$ 94 mil cada um, com duração de até 8 meses. Ao todo, 45 projetos devem ser escolhidos nessa modalidade.

As inscrições são realizadas de maneira on-line até 5 de abril. Clique aqui.

O lançamento das inscrições do VAI integra o que a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) chama de Plano de Amparo à Cultura, que prevê um conjunto de medidas diversas de apoio a artistas, técnicos, produtores, espaçoos culturais, grupos e coletivos do setor cultural – um dos mais afetados pelo contexto da pandemia.

Cia Sansacroma. Fotos: Raphael Poesia

Além do VAI, também recebem inscrições:

Fomento ao Teatro: Com orçamento de R$8,6 milhões, o edital recebe inscrições até o dia 18 de março. Podem concorrer grupos teatrais que possuem trabalho continuado de pesquisa e de produção teatral. Confira aqui.

Fomento à Dança: Com orçamento de R$3 milhões, o programa recebe inscrições até 19 de março. O objetivo é selecionar e apoiar a manutenção e desenvolvimento de projetos de trabalho continuado em dança contemporânea. Veja aqui.

Prêmio Zé Renato: Com objetivo apoiar a produção e o desenvolvimento da atividade teatral na cidade por núcleos artísticos e pequenos e médios produtores independentes, a premiação recebe inscrições até 21 de março. Confira aqui.

Edital de Apoio à Música: prevê a realização de obras musicais, o apoio a festivais e a projetos de música instrumental e de cultura popular – tudo dentro dos protocolos de segurança recomendados pelas autoridades de saúde. As inscrições ficarão abertas até 1º de abril. Acesse aqui.

Edital de Apoio à Criação Artística – Linguagem Reggae: Com orçamento de R$ 700 mil, o edital está com as inscrições abertas até 7 de abril. Saiba mais aqui.

Formação em negócios

O Projeto Arrastão, localizado na divisa entre o distrito do Campo Limpo (zona Sul de São Paulo) e o município de Taboão da Serra, abre o curso para jovens “Como iniciar o próprio negócio”. Totalmente gratuita e com certificado, a iniciativa propõe o desenvolvimento de habilidades técnicas básicas de gestão e inovação para gerar renda em artes, gastronomia ou tecnologia digital.

Serão oferecidas vivências de produção nestas áreas, uma jornada de como criar um negócio inovador e ainda um módulo para saber como conquistar visibilidade e gerar vendas de seus produtos e serviços pelas redes sociais. Com duração até junho de 2021, podem participar jovens de 17 a 21 anos. Inscreva-se aqui.

Já para quem empreende há algum tempo, uma oportunidade de aprimoramento é a 5ª edição da Articuladora de Negócios de Impacto da Periferia (ANIP), que recebe inscrições para o Lab NIP. Desenvolvido pela A Banca, Artemisia e Fundação Getúlio Vargas, o programa gratuito é voltado a empreendedores e empreendedoras das periferias das regiões Sudeste e Sul do Brasil.

Para ampliar o impacto positivo dessas soluções, o Lab NIP vai fortalecer o desenvolvimento de até 30 negócios ao longo de 07 semanas com base em uma metodologia de aceleração de curto prazo da Artemisia, unindo teoria e prática com foco no que é essencial.

Para participar, é preciso ter um produto ou serviço desenvolvido. Os negócios participantes que concluírem a jornada receberão R$1.250,00 de ajuda de custo. E aqueles que se destacarem no programa poderão receber até R$ 15 mil e apoio personalizado do Emperifa para aprimorarem suas iniciativas.

Inscreva-se aqui até 31 de março.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: