No Grajaú, coletivos se organizam em rede para desenvolvimento econômico local Com foco na economia solidária, evento "Nóis por Nóis" busca fortalecer trabalho de artistas e empreendedores do Extremo Sul

Por Levi Silva (fotos e transmissão), Nayra Laís e Thiago Borges (reportagem)

Neste domingo (11 de junho), o CJ (centro de Juventude) do Jardim Reimberg sediou a terceira edição do encontro Nóis por Nóis, que tratou do assunto “saúde”. Realizado pelo grupo de mesmo nome no Grajaú (Extremo Sul de São Paulo), o evento articulou coletivos de cultura e outras vertentes que atuam na região em uma rede para fomentar a economia solidária e o desenvolvimento local.

O Periferia em Movimento acompanhou parte do evento em uma transmissão ao vivo no Facebook.

O evento contou com a venda de alimentos e bebidas em uma feira gastronômica vegana e vegetariana, vendas de vestuários e acessórios, oficinas e apresentações artísticas. As compras eram feitas com uma moeda social local, a “Marginal”.

“O conceito de Nóis por Nóis é fortalecimento dos coletivos, da economia local”, diz Barbara Terra, uma das organizadoras do evento. “O mais válido é nos fortalecer e nos consumir, porque viemos fazendo isso há algum tempo e, então, por que não consumir a gente?”.

O evento é dividido por estações do ano. Primavera, verão e agora outono, nessa terceira edição. “Eu acho importante eventos na quebrada porque levantam pessoas na quebrada e não têm tanta visibilidade, e agora chega no extremo do Grajaú”, observa Lorena Carvalho, outra organizadora do evento. Veja abaixo:

Confira mais nas fotos de Levi Silva