Movimentos sociais debatem a cidade que queremos

Em 2016, o mundo começou o ano pela primeira vez com mais espaços urbanos (54%) que rurais. As cidades não são um território igual, cada parte tem suas diferenças, e é nas periferias que desembocam as precariedades estruturais urbanas. Se os centros empresariais e elitistas foram locais planejados para o dinheiro, as periferias simplesmente aconteceram, fruto da necessidade de abrigar o ser humano.

De fevereiro a abril, acontece o Seminário “Cidade que nós temos e a cidade que queremos”, organizado pelo Terra Livre – Movimento Popular do Campo e da Cidade. O primeiro encontro aconteceu em 4 de fevereiro, mas ainda vem muita discussão por aí!

O próximo debate acontece nesta quarta (17/02) e será sobre mobilidade urbana, com a participação do MPL- Movimento Passe Livre, Márcia Gregori , Terezinha Ferrari e João Vitor (conselheiro do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte), além do  Movimento Terra Livre.

Nas semanas seguintes, os movimentos falam sobre a militarização das cidades (24 de fevereiro), deslocamentos forçados (07 de março), cidade dos homens (17 de março), controle territorial de negros e indígenas na periferia (18 de março), se a cidade fosse minha (06 de abril) e a quem servem os planos diretores – às pessoas ou ao capital (19 de abril).

Anotaí!

Roda de discussões será sobre Mobilidade Urbana:

Quando? Quarta, 17 de fevereiro, às 19h.

Onde?  Na Ocupação Leila Kaled. Rua Conselheiro Furtado, 648 – Liberdade – Centro de São Paulo

 

Mais informações aqui.