Neste sábado (22 de abril), o coletivo Extremo a Extremo junto a moradoras e moradores do bairro da Barragem (em Parelheiros, Extremo Sul de São Paulo) realizam um mutirão de limpeza e organização na área de uma escola incendiada na região e chamam atenção para o descaso do poder público com a população local.

Em novembro de 2014, a Escola Estadual Renata Menezes dos Santos sofreu um incêndio e, desde então, segue abandonada pelo governo estadual – que já prometeu reconstruir o prédio. Com isso, mais de 500 crianças do Ensino Fundamental I estudam no mesmo prédio onde funciona a Escola Estadual Joaquim Álvares da Cruz (que atende estudantes do Fundamental II e do Ensino Médio). O Periferia em Movimento contou essa história no final de 2015. Veja.

“A região de Parelheiros é carente de investimentos culturais, saneamento básico, lazer e educação e um dos fatores que comprovam e evidenciam é a falta de equipamentos e que no bairro há somente um local a qual abriga os alunos da escola”, diz o chamado do mutirão.

O objetivo do coletivo Extremo a Extremo é foralecer a rede de moradores do bairro com eventos culturais que abordem as produções e empreendimentos da comunidade.

Para este sábado, além de levar materiais como luvas, vassouras, pás, ferramentas para jardinagem, escadas, sacos de lixo, rastelo, carrinho de mão, entre outros, o coletivo sugere alguma contribuição com alimentos para realização de um piquenique ao longo do dia.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

× Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: