Territórios que despertam memórias e afetos, experiências culturais e artísticas que modificam e ressignificam esses territórios: entre os dias 24 de agosto e 1º de setembro, a 9ª edição do Encontro Estéticas das Periferias reúne mais de 60 atrações pensadas por artistas, coletivos e grupos culturais que apresentam para o público suas produções, marcadas por sentidos de pertencimento pelas periferias paulistanas, lutas e emancipação social.

A abertura oficial acontece no domingo (25 de agosto), com o espetáculo “Fui feita pra vadiar”, que reúne mais de 50 musicistas de 06 grupos de samba formados, exclusivamente, por mulheres, ressaltando a história e a luta das mulheres no samba.

Ensaio para espetáculo de abertura. Foto: Lígia Maria

Confira a programação completa do Estéticas das Periferias clicando aqui.

A organização do Encontro foi descentralizada, com a participação de coletivos de diferentes regiões da cidade que montaram uma programação baseada em 05 eixos curatoriais: cultura negra, direito à cidade, produção cultural das mulheres, direitos humanos e futebol como prática cultural.

Entre as diversas apresentações, os quatro elementos do Hip Hop chegam com força nessa edição. No Itaim Paulista, a festa “Eletro Tintas” resgata a tradição do hip hop das décadas de 1980 e 1990; em São Mateus, a “Oficina Graffiti Trans” debate desigualdades de gênero e cultura periférica nos dias 28 e 31 de agosto, na Casa de Cultura São Mateus. Em Ermelino Matarrazo, no dia 27, a “Batalha Ocupa” abre espaço para o duelo de MC’s.

Por sua vez, a união do futebol de várzea com música e literatura dão o tom do evento “Futebol, Samba e Poesia” no SESC Parque Dom Pedro II, no dia 1º de setembro.

Quem quiser ver mais samba tem, dentre as várias opções, a apresentação do “Pagode Na Disciplina e Feitiço de Mulher”, no Jardim Mirim, dia 25; o “Quintal da Casinha – Samba e Cumbuca Cheia”, encontro de artistas negras, no dia 1º de setembro e também o aniversário de 03 anos do Quilombo Cultural Ybira Samba, dia 31 de agosto.

Entre os espetáculos, no dia 28, o “Picadeiro do Fuxico” leva um cortejo de artistas circenses pelas ruas do bairro da Vila Prudente. No dia 31, o “Levante Mulher – Sonhos de Asas”, chega na Casa de Cultura do Butantã, com uma potente mistura de poesia e arte circense.

E pelo segundo ano, o Estéticas promove o “Periferia Ocupa Centro”, com apresentações culturais na Ação Educativa, na Casa das Rosas e no Instituto Moreira Salles. Além do tradicional ciclo de debates no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc que, nesta edição, tem como tema o Ensino de Arte nas Periferias.

O Estéticas das Periferias começou em 2011, por iniciativa da ONG Ação Educativa.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: