Literatura periférica: dos saraus direto para as telas No Centro, documentário "Pelas Margens" mostra participação feminina na literatura das quebradas, enquanto dois saraus acontecem no Extremo Sul da cidade

Neste sábado (19 de novembro), oportunidades interessantes em São Paulo para quem quiser conhecer melhor a cena da chamada literatura periférica.

No Centro da cidade, a jornalista Jéssica Balbino apresenta e debate o documentário que produziu de forma independente: “Pelas Margens” faz um recorte da participação feminina na literatura marginal/periférica brasileira nos últimos 15 anos. Nele, as mulheres que escrevem suas próprias histórias são as protagonistas desse universo poético, cheio de incômodos e também lirismos.

O filme é como um panorama da literatura marginal/periférica brasileira contado a partir das vozes femininas dos saraus, slams e editoração. Ele debate o machismo no mercado editorial, bem como nos espaços e é permeado pela poética e força destas mulheres.

Das telas às rodas de poesia, no Grajaú (Extremo Sul) da cidade o Sarau Grito Periférico exibe trampos de mulheres negras periféricas e inicia o encontro também com um cine-debate. E na Ilha do Bororé, a última edição do ano do Sarau de Cordas recebe os poetas Marcelino Freire e Hugo Paz, além de apresentações teatrais do Núcleo Pele, Israel de Lima e Evânia Vieira e exposição de Mônica Marques ao redor da fogueira.

Anotaí!

Exibição documentário “Pelas Margens”

Onde? Às 16h, na Ação Educativa – Rua General Jardim, 660, Santa Cecília – Centro de São Paulo

Mais informações aqui.

Sarau Grito Periférico

Onde? Às 17h, no Circo Escola Grajaú – Avenida Belmira Marin, 2417 – Grajaú – Extremo Sul de São Paulo

Mais informações aqui.

Sarau de Cordas

Onde? Às 18h, na Casa Ecoativa – Estrada de Itaquaquecetuba, 7225 – Ilha do Bororé – Extremo Sul de São Paulo

Mais informações aqui.