Por Julia Vitoria

Fotos: Divulgação

Sabe aquele lanchão dos sonhos? Pão artesanal, hambúrguer de costela com 150 gramas, queijo prato, bacon, anéis de cebola ou cebola caramelizada, alface americano, tomate e molho verde…

Existe e, no Grajaú (Extremo Sul de São Paulo), leva o nome de Belmira Marin – uma referência à avenida que corta o distrito mais populoso da cidade e é famosa entre a população pelo trânsito caótico. O lanche tá no cardápio da hamburgueria D’Favela. 

Lanche D’Favela, que leva o nome da casa

“Esse nome surgiu pela vontade de realmente estar envolvido com a comunidade, de mostrar que a raiz da favela também pode chegar lá, entende?”, explica Anderson Diego Santana de Macedo, 31, dono do negócio. 

Além da homenagem à Belmira, outros lanches foram batizados com nomes de quebradas da região. É o caso do 27, em referência à rua famosa pelo Pagode que acontece há 15 anos; ou o Buracanã, como é popularmente conhecido o bairro do Parque Planalto e que tem pão artesanal, 150 gramas de carne, queijo prato, barbecue e molho verde. 

Essas hamburguerias cheias de identidade e sabores únicos têm se espalhado pelas quebradas. E, com a crise econômica intensificada pela pandemia de coronavírus, também se mostram uma alternativa para geração de renda. Nesta reportagem, além da D’Favela, também apresentamos O Poderoso Chefão e Os Suculentu’s.

Esta é a 3ª matéria da série Fortalece Quebrada, um projeto da Periferia em Movimento e da agência de comunicação Bora Lá para destacar empreendimentos criados por moradoras e moradores das periferias de São Paulo.

Orgulho da comunidade

Fundado em 2018, o D’Favela já conquistou espaço na vizinhança e acumula mais de 5 mil seguidores no instagram, além de vários elogios nas postagens. O lanche que leva o nome da casa vem com 2 hambúrgueres de 150 gramas, queijo cheddar, bacon, picles, ovo, cebola caramelizada, alface americano, tomate e molho verde. Há também porções de batata com cheddar e bacon. 

D’Favela, hamburgueria localizada no Grajaú

Atualmente a hamburgueria está atendendo somente por delivery. Essa foi a forma que Diego encontrou para manter os funcionários e pagar o aluguel. “Estamos acreditando muito no futuro da nossa casa. Estamos vindo com o espaço novo para um melhor atendimento dos nossos clientes. Também estamos trabalhando na nossa segunda cozinha para aumentar nosso faturamento”, diz Diego. 

O empreendedor quer mostrar o orgulho de seu território na D’Favela. “Mais pra frente, com muita fé em Deus, iremos entrar em ações sociais pela nossa quebrada”, conta ele.

Como funciona? | Peça de terça-feira a domingo, das 17h30 à 1h30 Os pedidos devem ser feitos pelo instagram (clique aqui) ou telefone (11 95938-4344). Aceita Dinheiro, cartão de crédito e débito

Padrinho da cozinha

Em outra ponta do Extremo Sul, no Jardim Vera Cruz, Ricardo Luiz de Andrade Gonçalves se inspirou em um clássico do cinema para fundar O Poderoso Chefão. 

Aberta em setembro de 2019, a hamburgueria homenageia os personagens do famoso filme em seu cardápio:

  • O 100_Poderoso é feito com pão de brioche, hambúrguer artesanal de 120 gramas, maionese do Chefão, alface americano, tomate, azeitona preta e bacon
  • Já o 300_Corleone leva pão tipo sweet honey, hambúrguer de 120 gramas, queijo cheddar, doritos e cebola caramelizada
  • Também há os lanches 500_Sony e 600_Don Ryan, entre 9 opções existentes

“Minhas expectativas para o futuro são crescer e meu negócio gerar emprego”, aponta Ricardo.

Como funciona? | Peça de segunda a sexta-feira, das 18h à meia-noite. Os pedidos devem ser feitos pelo instagram (clique aqui) ou telefone (11 92004-1551) e também pode ser retirados no local (Rua Ângelo Tarchi, 175). Aceita Dinheiro, cartão de crédito e débito e QR Code.

Inspiração caseira

Com apenas 22 anos, Mariane Lopes começou em setembro deste ano o Suculentu’s Burguer. Localizado no Jardim Castro Alves (distrito do Grajaú), o negócio é a realização do sonho de ter algo próprio.

“A pandemia no início assustou porque quem estava pensando em começar um empreendimento não contava com a crise no País”, explica Mariane. “Porém ajudou também, já que com a quarentena as pessoas todos os dias querem algo diferente, gostoso e que fosse até a casa delas. Isso ajudou a abertura do meu negócio”, continua.  

Mariane Lopes, fundadora da Suculentu’s

Antes de montar a Suculentu’s, Mariane já trabalhava em restaurantes. E apesar de pensar em empreender, ela não imaginava que seria uma hamburgueria. A inspiração veio de dentro de casa.

“Nós da família temos o hábito de nos reunir em volta da mesa. Em uma ‘noite do hambúrguer’, os familiares começaram a me incentivar a abrir algo nessa área, já que sempre trabalhei em fastfood”, conta ela. 

Com o nome de Canadá, o carro-chefe do cardápio vem no pão de brioche, maionese de bacon, molho barbecue, cebolas empanadas, picles, cheddar, mussarela e hambúrguer da casa, feito no dia com carnes frescas. Já o Amsterdã vem no pão australiano, com maionese da casa, cebola, couve frita, requeijão empanado, cheddar e também hambúrguer da casa. Além dos lanches individuais, Mariane faz combos com batatas fritas e refri.

Atualmente, a Suculentu’s opera apenas com delivery com algumas opções. Mas a fundadora já vislumbra a expansão tanto do cardápio quanto do acesso da clientela. 

Como funciona? | Peça de terça-feira a domingo, das 16h à meia-noite, pelo ifood, instagram (clique aqui) ou telefone (11 94004-6094). Aceita Dinheiro, cartão de crédito e débito, vale-refeição, vale-alimentação e transferências bancárias.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: