Foto de capa: Fernando Solidade

Começou nesta segunda-feira (1/3) e segue até 6 de abril a primeira edição do FIP – Festival de Imagens Periféricas, realizado por 35 artistas e fotógrafos de São Paulo e contemplado pela Lei Aldir Blanc de auxílio emegencial a trabalhadores da cultura. O evento apresenta diferentes narrativas visuais da capital paulista por meio da imagem, trazendo a pluralidade cultural representada por quem vive em regiões do centro e da periferia da metrópole.

Com a temática “Imagens Periféricas”, a proposta do festival é provocar ações que fluam em mão dupla – da área central para a periferia e da periferia para área central da cidade –, reforçando para que haja a quebra do trânsito existente entre território e as relações sociais.

A programação tem uma série de atividades, como diálogos, oficinas, desafios, exposições de lambes e projeções perpassam o ambiente da fotografia e seguem também, como ferramenta de conhecimento, expressão e transformação.

Foto de Sheila Signário

Para abrir o evento, nesta primeira semana de março acontecem os Diálogos sobre universo da fotografia. A transmissão será realizada pelo youtube e facebook do FIP, sempre às 19h.

Nesta terça (2/3), o papo é sobre as “Memórias de um tempo de luta”, com os fotógrafos Allan Cunha e Léu Britto, que mostram sua visão sobre a rotina de quem usa o transporte público e as condições de moradia nas periferias. A conversa também traz uma reflexão sobre atos políticos das ruas, pelo olhar de Márcia Zoet e do R.U.A Foto Coletivo (Jardiel Carvalho e Rodrigo Zaim), além de ensaio fotográfico do Ilu Oba de Min.

Já na quarta (3/3), a proposta é discutir a “Delicadeza dos seres”, sobre histórias de pessoas, cenas do cotidiano, da espiritualidade. A conversa traz Preta Pretinha e Anna, mãe e filha do Coletivo Fridas Comunica e Fotografa; Carmen Negrão; Eliária Andrade; Sylvia Masini e Júlio César.

Na quinta (4/3), o “Território doe eu” reflete a fotografia a partir do cenário pandêmico em casa. O papo acontece com Evelyn Ruman, Mariana Raphael, Raphael Poesia, Silvia Zamboni e Tina Gomes.

Pra finalizar, na sexta (5/3) o diálogo “Sobrevivendo, por enquanto” propõe debater as divisões na sociedade em classes, com as marcas da escravidão e do patriarcado. A conversa apresenta fotos e vídeos de Fernando Solidade, Jardil Carvalho, Mônica Zarattini, Noite, Paulo Tertuliano e Sheyla Melo.

Foto de Sheyla Melo

Oficinas

Com objetivo de ampliar o pensamento crítico sobre fotografia e ressaltar o olhar artístico, o FIP prepara 5 oficinas promovem a inclusão digital e a preservação da memória da periferia. Jovens a partir dos 16 anos podem se inscrever até durarem as vagas. As oficinas acontecem de 09 a 19 de março.

Nos dias 9 e 16 de março, das 9h às 12h, Allan da Cunha realiza a oficina “Fotografia e autoria para iniciantes”. Inscreva-se aqui.

Nos dias 11 e 15 de março, das 19h às 22h, Tulio Vidal facilita a oficina “Fotografia de Moda profissional e de baixo custo” (é necessário ter conhecimento básico de fotografia e equipamento semiprofissional ou celular). Inscrições aqui.

A atividade “Retratos e Processos criativos”, com Tina Gomes, propõe a inclusão de elemtnos da arte, artesanatos e sucatas na produção fotográfica. Rola no dia 11 de março, das 11h às 13h. Inscreva-se aqui.

No dia 20 de março, às 16h, Julio Cesar apresenta a oficina “Fotografando seus produtos com o celular”. A atividade é volta especialmente para empreendedores pretos. Inscreva-se aqui.

E na oficina “O que é Antropologia da Imagem?”, Yara Schreiber Dines apresenta como aprender e entender o foco e a importância de valorizar culturas específicas e saberes diferentes de grupos sociais e comunidades. Nos dias 10, 12, 18 e 19 de março, das 19h às 21h. Inscrições aqui/

Desafios e Exposição

Inspirados nas temáticas dos Diálogos, o FIP lança desafios para quem aposta no seu trabalho. Até 22 de março, acontece um Desafio onde aproximadamente 145 fotografias serão selecionadas para compor exposições a céu aberto.

Foto de Gsé Silva

Em formas de lambes, as imagens vão ocupar as quatro regiões da cidade (norte, sul, leste e oeste), onde 500 metros de muros se transformam em uma grande exposição de fotografia artística.

Para participar publique uma ou mais fotos em seu perfil pessoal do Instagram com a hashtag geral #fip_desafios e com a hashtag do tema que melhor definir cada imagem. As opções são: #fip_cultura; #fip_gente; #fip_memoria; #fip_morada; #fip_sobrevivencia

O formulário para inscrições e todas as informações você encontra aqui

Projeções

Outra maneira de ocupar a cidade com a arte da fotografia, em tempos de pandemia, é por meio de projeções. No dia 6 de abril, às 19h30 o Festival de Imagens Periféricas alcança uma das principais avenidas da cidade de São Paulo, a Avenida Consolação com a rua Caio Prado. A ação encerra a primeira edição do Festival com duas horas de projeções, com transmissão on-line.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: