Espetáculo traça paralelo entre orixás, negação do racismo e vivências dos próprios artistas

Espetáculo traça paralelo entre orixás, negação do racismo e vivências dos próprios artistas

Periferia em Movimento

Periferia em Movimento

Inspirado no livro homônimo de Frantz Fanon, a companhia de dança negra Treme Terra volta aos palcos com o espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas”.

Neste sábado (17 de dezembro), a companhia de dança negra Treme Terra apresenta seu espetáculo inédito “Pele Negra, Máscaras Brancas”. Inspirado no livro de mesmo nome de Frantz Fanon, o grupo se baseia em estudos sobre as relações étnico-raciais no Brasil e traça um paralelo entre o livro, a mitologia dos orixás e experiências pessoais relatadas em depoimentos pelos artistas do elenco. Neste trabalho, o livro é utilizado como principal material disparador para as composições coreográficas e musicais.

O espetáculo conta com a direção de João Nascimento e Firmino Pitanga. O Treme Terra surgiu em 2006, com o propósito de valorizar, pesquisar e difundir a cultura negra. Em 2009, a companhia estreiou sua primeira obra, chamada “Cultura de Resistência”. Em 2012, veio o trabalho “Terreiro Urbano”.

O psiquiatra e ensaísta negro Frantz Fanon nasceu na ilha de domínio francês de Martinica, no Caribe, e se envolveu na luta pela independência da Argélia. Seu livro “Pele Negra, Máscaras Brancas” aborda a negação do racismo contra os negros na França e as consequências psicológicas da colonização.

Autor

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Comente usando o facebook

Nosso manifesto:

Nossas redes sociais:

Notícias recentes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confira também

Posts relacionados:

Apoie!
Skip to content