Foto Aline Constantino/Divulgação

Entrevista: Terra Preta fala sobre o lançamento de “Homem Figa Vol. 1”, seu primeiro álbum

Ele não é novidade no mundo rap faz tempo.

Mas só agora, após anos de carreira construída em grande parte na internet e nos shows de rap da periferia paulistana, que o cantor Terra Preta lança seu primeiro álbum oficial.

Nascido no Jabaquara e criado no Grajaú, bairros da zona Sul de São Paulo, quer surpreender com “Homem Figa vol. 1″, fruto de um trabalho extenso no hip hop e R&B com influências de outros ritmos musicais.

O show lançamento acontece nesta quinta, dia 27, no Estudio Emme, em São Paulo. O espetáculo contará com participações especial de Rashid, Marechal, Mano Brown, Jr. Dread, Rincon Sapiência, BIG (RDG), DJ KL Jay, Apelidado Xis e DJ Cia, além dos principais responsáveis pelo novo disco, a dupla StereoDubs.

“Esse momento em que a nova geração se encontra com a velha é especial, pois os dois lados se fortalecem. Acho que nós (novos) precisamos aprender muito com eles, mas a troca é inevitável” – Terra Preta

Nós do Periferia em Movimento estaremos lá para acompanhar o show e trazer a cobertura aqui no site. Enquanto isso, confere a pequena entrevista concedida pelo Terra Preta com exclusividade.

PERIFERIA EM MOVIMENTO – Esse é seu primeiro álbum oficial. O que ele traz de novo em comparação aos trabalhos anteriores? E o que ele confirma sobre sua obra, quando comparamos com o que fez anteriormente?

TERRA PRETA – Realmente esse trabalho traz um pouco de tudo o que sei fazer em uma experiência maravilhosa. Desta vez o tempo que tive foi maior. Desde a composição, produção até a finalização das músicas. Agora estou tendo a oportunidade de mostrar um trabalho completo. Antes as coisas foram feitas de uma forma instantânea e o modo era mais rápido. Na época eu estava me descobrindo, mas agora dei um passo fixo e mostrando meu potencial e as pessoas estão sentindo.

PeM – Em seu show, teremos a participação do Mano Brown, entre outros nomes do rap. Como você avalia o atual momento do rap, em que velhos e novos nomes dividem a cena?

TP – Estamos vivendo num momento de ressurreição do rap. No últimos 10 anos a cena estagnou, quase paralisou e quando todo mundo deu por perdido. Um novo conceito surgiu. O rap é uma música que tem facilidade pra se adaptar à realidade da época. Antigamente a mensagem era muito mais importante do que a musicalidade e isso custou muito caro, porque as pessoas começaram a perder interesse. Hoje vemos artistas que conseguem equilibrar as duas coisas. Muita coisa ruim ficou pra trás. Mas agora nós estamos vivendo uma época de fortalecimento. As mídias sociais foram as que mais ajudaram tudo isso a acontecer, mas o caminho agora é não cometer os erros do passado. Hoje as pessoas se preocupam muito mais com a música, com a parte empresarial e produção em geral e isso é um bom sinal de que temos um futuro promissor pela frente. E se não acontecer essa junção da velha e nova escola, vamos perder um elo da corrente. Esse momento em que a nova geração se encontra com a velha é especial, pois os dois lados se fortalecem. Acho que nós (novos) precisamos aprender muito com eles, mas a troca é inevitável.
PeM – O que espera daqui para frente?
TP – Agora estou trabalhando com uma estrutura diferente e acredito que as coisas vão pegar muito mais ritmo. Acredito muito no potencial das novas músicas e vejo uma estrada brilhante pela frente. Quero dar continuidade aos trabalhos e aparecer com novidade em breve!

SERVIÇO

Terra Preta faz show de lançamento de “Homem Figa Vol. 1″

ESTÚDIO EMME (Rua Pedroso de Morais, 1036, Pinheiros)

19h -Abertura da casa

20h -Discotecagem

21h – Início do show

QUANTO: R$ 30 na bilheteria, R$ 20 antecipado ([email protected]) ou Lojas Beatz (Rua 24 de Maio, 62 e Av. São João, 439 – Centro – SP)

Realização: Quebrando Record’s