No mês em que se celebra o Dia Internacional da Mulher Afrolatinoamericana e Afrocaribenha, um grupo de mulheres negras lança neste sábado (21 de julho) a Rede Elekô Eledaoguntá, com objetivo de consolidar parcerias e viabilizar programas educativo-culturais.

O evento de estreia dialoga sobre a resistência das mulheres no candomblé, discutindo sua identidade ancestral no ambiente religioso por meio do documentário Yalodê Mulheres (Re) Existindo, uma narrativa sobre mulheres de resistência no Candomblé, dirigido por Karolina Desireé que também é educadora.

Após a exibição do documentário, a Rede vai mediar um Pajubá (palavra no idioma iorubá que significa “conversa” com a diretora do documentário. O encontro também terá a participação de Denise Alves, cantora e MC que também gerencia o projeto Graja Minas.

Confira a programação: 
– Abertura: Ballet Afro Koteban;
– Apresentação da Rede Elekô Eledaoguntá;
– Exibição do documentário seguido do Pajubá;
– Encerramento com Denise Alves;
– Espaço expositivo aberto para divulgação de trabalhos.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

× Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: