Em meio à “guerra do pixo”, exposição no Grajaú propõe discussão sobre “Desvio para o Cinza” Com o propósito de reunir artistas que vivem e desafiam a atmosfera cinza da cidade de São Paulo, a exposição traz pinturas, fotografias e objetos de cor cinza em referência ao processo de anos, como o combate a manifestações artísticas e falta de fomento a políticas públicas.

Neste sábado (11 de fevereiro), às 20h, o Ateliê Daki inicia suas atividades em 2017 com a exposição coletiva “Desvio para o Cinza”.

É inevitável não fazer referência às recentes falas do prefeito de São Paulo João Doria Jr, que apagou graffitis na avenida 23 de Maio e declarou guerra aos pixadores, a quem chamou de “bandidos”.

Com o propósito de reunir artistas que vivem e desafiam a atmosfera cinza da cidade de São Paulo, a exposição traz pinturas, fotografias e objetos de cor cinza em referência ao processo de anos, como o combate a manifestações artísticas e falta de fomento a políticas públicas.

“O graffiti tem como proposta não apenas facilitar este diálogo, mas também trazer o sentimento de se reconhecer nos processos criativos expostos pela cidade”, diz o comunicado do evento.

Entre os artistas reunidos, estão Michel Onguer, Claudio Ganu, Débora Auni, Débora Auni, Erick Martinelli, Thomas Tags, Luiz 83, Talita Noah, Daniel Odel e Felipe Rude. A noite conta ainda com performances de Willian Graniero (autor da foto em destaque e do vídeo abaixo) e Davi Romeu, além da discotecagem de Ben Blue.

DESVIO PARA O CINZA from Willian Graniero on Vimeo.

Anotaí!
O quê?

Desvio para o Cinza

Mais informações: https://www.facebook.com/events/1339806486094748/
Quando? Estreia no sábado (11 de fevereiro), às 20h
Onde? Ateliê Daki
Rua Rogégio Fernandes, 20 - Jardim Reimberg - Grajaú - Extremo Sul de São Paulo
Adicionar à agenda do Google