O mês de junho só está começando, mas esta primeira semana já começa com oportunidades para quem busca ampliar os conhecimentos sobre a obra do educador Paulo Freire ou a cultura dos povos indígenas; quer entender como criar um grupo de pedal ou a relação entre moda e sustentabilidade; deseja compreender lutar contra os cortes na Educação.

Por isso, a Periferia em Movimento indica 06 iniciativas para quem vive nas quebradas se jogar de cabeça:

Começa nesta quinta-feira (06/06), com uma aula pública sobre Educação no Largo da Batata. Realizada pelos grupos GAIA (Grupo Autônomo de Introdução ao Anarquismo), Quilombo Invisível e Estudantes na Luta e Quilombo de Greve da Filosofia, o encontro conta com a participação da militante periférica Helena Silvestre e dos professores Vladimir Safatle e Paulo Arantes, da USP.

A proposta é continuar a luta contra os ataques do governo de Jair Bolsonaro às universidades públicas e ao ensino público. A aula pública começa às 16h, seguida de um ato cujo trajeto ainda será definido. Mais informações aqui.

A ideia do ato é se concentrar as 16 horas para que tenhamos falas de alguns professores e professoras convidadas. Após as falas, sairemos em ato. O trajeto ainda será definido.

No mesmo dia, entre as 08h e as 22h, a Nação Indígena Pankararu promove seu 7º Encontro Indígena no CIEJA Campo Limpo. Com uma série de ações, o encontro apresenta a tradição como a experiência dos povos indígenas consagrados pelo tempo. O CIEJA fica na rua Cabo Estácio da Conceição, 176, no Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo. Mais informações aqui.

Na mesma noite, o coletivo Bike Zona Sul inicia um pedal noturno semanal na região do M’Boi Mirim. A proposta é criar grupos de passeio noturno em diferentes bairros da Zona Sul, com o objetivo de dar o ponta-pé inicial no uso da bicicleta como meio de transporte. Com o tempo, a ideia é que os próprios ciclistas assumam o grupo e agreguem mais moradores da região.

O Pedal Noturno tem como ponto de encontro o Largo de Piraporinha (na esquina da estrada do M’boi Mirim com a avenida Inácio Dias da Silva), às 20h. A saída acontece às 20h30 e deve seguir por 30 quilômetros entre Piraporinha, Guarapiranga, Parque Figueira Grande e região. Saiba mais aqui.

Já o Centro de Arte e Promoção Social – CAPS Grajaú realiza mais uma roda de conhecimento sobre Educação. E neste sábado (08 de junho), às 17h30, o tema é a “Pedagogia do Oprimido”, obra que tornou conhecido mundialmente o educador brasileiro Paulo Freire. O livro propõe uma pedagogia com uma nova forma de relacionamento entre professor, estudante e sociedade, em busca da liberdade dos indivíduos.

A atividade será mediada pela professora Maria Vilani e estudantes universitários podem solicitar certificado de horas. O CAPS fica na rua Jequirituba, 325, entre o Hospital Grajaú e a estação da CPTM Primavera-Interlagos, no Extremo Sul de São Paulo. Saiba mais aqui.

Na sequência, às 19h, o Jardim Monte Verde (também no Grajaú, próximo à represa Billings) é passarela do desfile do projeto Curibocas. A marca local vem na contramão das mercadorias que trucidam a vida das pessoas e o meio ambiente, e trabalha a sustentabilidade e o consumo consciente na comunidade.

Roda de conversa sobre consumo do projeto Curibocas (foto: Divulgação)

Inspirado em elementos africanos e indígenas (como carvão, mandioca, urucum, dendê, jerimum e a arara azul), o projeto apresenta suas produções na Associação Esporte Clube Vila Real (AECVR), que fica na Rua Sete, 1A. Mais informações aqui.


Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: