Você é artista, faz histórias em quadrinhos e tem desejo de publicá-las? Ou é uma mulher negra que lidera uma organização ou coletivo sem fins lucrativos na quebrada? É jovem e tem interesse em atuar na gestão cultural? Tá na faculdade de jornalismo e tem uma proposta de reportagem sobre direitos humanos?

A Periferia em Movimento apresenta 04 oportunidades de prêmios e editais que selecionam e reconhecem seus projetos. As inscrições já estão rolando. Confira os detalhes:

1. Pra publicar uma história em quadrinhos

Depois de atrair mais de 4 mil pessoas na primeira Comic Con da favela, realizada em março no Capão Redondo, o PerifaCon lança um edital para ampliar a diversidade social e racial no mercado de quadrinhos do Brasil.

Em parceria com a Editora Mino (uma das principais editoras de HQ do País), a equipe do festival lança o edital “Narrativas periféricas”, que vai selecionar 08 artistas das quebradas para editar, acompanhar, publicar e distribuir as histórias em quadrinhos de autores e autoras periféricos de São Paulo. Metade das vagas é reservada a quadrinistas negros.

Os projetos serão selecionados e editados por Janaína de Luna, editora-chefe da Mino. Serão 08 meses intensos de encontros até que os quadrinhos estejam prontos para a publicação, incluindo o fortalecimento dos artistas para o ingresso no mercado, além do recebimento de uma ajuda de custo para participar do processo. As obras serão lançadas no próximo PerifaCon e vão integrar o catálogo da editora.

Para participar, é necessário enviar nome, endereço, renda familiar, um portfólio e o argumento da história em quadrinhos para o e-mail: [email protected] até o dia 16 de junho.

A seleção seguirá critérios como: residir em uma periferia de São Paulo; apresentar projeto ainda nos primeiros passos; apresentar a proposta de uma história curta; argumento apenas com ideia geral da história; portifólio com o que melhor representa os artistas.

2. Pra fortalecer sua iniciativa na quebrada

A Fundação Tide Setúbal recebe inscrições para a segunda edição do edital Elas Periféricas, que visa fortalecer iniciativas de mulheres negras periféricas na cidade de São Paulo, bem como os territórios periféricos em que essas iniciativas estão inseridas.

O edital vai escolher até 06 iniciativas sem fins lucrativos lideradas por mulheres negras periféricas para oferecer apoio técnico e mentoria ao longo de 12 meses com objetivo de capacitar e fortalecer a organização em ferramentas de gestão financeira, mobilização de recursos, gestão de projetos, planejamento estratégico e atuação em rede. Além disso, cada iniciativa receberá até R$ 40 mil.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente por formulário on-line até o dia 16 de junho. Clique aqui para se inscrever. O edital está disponível aqui.

3. Pra trampar com Cultura

O Programa Jovem Monitor Cultural vai oferecer 225 bolsas de R$ 1.000 por mês para jovens atuarem em equipamentos ou departamentos da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de São Paulo, tais como bibliotecas, teatros, casas de cultura, centros culturais, entre outros.

Além de participar da gestão e programação desses espaços, os jovens recebem formação teórica em gestão cultural durante o processo, que tem previsão de início para o segundo semestre deste ano.

Para participar, é necessário residir no município de São Paulo, ter entre 18 e 29 anos e ser preferencialmente de família de baixa renda. Pelo menos 54% das vagas são destinadas a pessoas autodeclaradas negras (pretas ou pardas) e 5% para jovens com deficiência ou mobilidade reduzida. Inscreva-se aqui até 30 de junho.

4. Pra desenvolver uma reportagem

E até o dia 5 de julho, estudantes de jornalismo de todo o país poderão inscrever propostas de pauta para o 11º Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão – uma iniciativa do Instituto Vladimir Herzog para estimular o processo jornalístico entre futuros profissionais. A Periferia em Movimento compõe banca julgadora do prêmio.

Nesta edição, os trabalhos deverão abordar como tema “A face humana dos movimentos imigratórios e de refúgio e seus reflexos na sociedade brasileira”.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.jovemjornalista.org.br, tanto de propostas individuais ou em dupla. Todas as propostas de pauta deverão contar, obrigatoriamente, com a participação de um professor-orientador vinculado à instituição de ensino dos participantes.

As pautas selecionadas serão anunciadas em 5 de agosto e as equipes deverão produzir suas reportagens entre agosto e outubro, com a orientação do professor e de um jornalista mentor indicado pelo Instituto.

A entrega dos diplomas e troféus às equipes vencedoras será no dia 24 de outubro, em São Paulo, durante a Roda de Conversa com os vencedores do 41º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: