Dois anos de sua partida, um luto, uma luta… Luana presente! Slam mantém a memória de Luana Barbosa, mulher negra e lésbica que morreu após abordagem de PM's em 2016

Organizado pela coletiva Luana Barbosa, no dia 13 de abril, acontecerá a segunda edição do Slam Luana Presente. O Slam foi criado para a valorização da arte/cultura da Mulher Lésbica e Bissexual e manter a memória de Luana Barbosa dos Reis.

Quem foi Luana?

Luana Barbosa dos Reis foi uma mulher preta-lésbica-periférica-negra de 34 anos, que veio a falecer em 2016 após uma abordagem policial em Ribeirão Preto. Ela morreu cinco dias após a ação policial, devido a isquemia cerebral e traumatismo craniano em decorrência de espancamento.

A única coisa que Luana pediu foi para ser revistada por uma mulher.

A polícia militar negou qualquer tipo de agressão, e após um ano, o caso foi arquivado por “falta de materialidade no crime”.

Como colar no rolê?

O Slam será realizado no Espaço Cultural Tia Estela (Viaduto Alcântara Machado), das 19:00 ás 21hrs.

Leve seu luto e revolta para este dia de memória e resistência.

 

Anotaí!
O quê?

Slam Luana Barbosa

Slam para manter a memória de Luana Barbosa dos Reis.
Quando? 13 de abril, das 19:00 ás 21:00hrs.
Onde? Espaço Cultural Tia Estela (Viaduto Alcântara Machado)
Viaduto Alcântara Machado, Brás, São Paulo.
Adicionar à agenda do Google