Neste sábado (04 de maio), a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) da Prefeitura de São Paulo finalmente inaugura a Casa de Cultura de Parelheiros, no Extremo Sul da cidade. A construção do prédio terminou em 2009, mas só agora cumpre a função para a qual foi originalmente projetado.

“Na época em que foi construído, alegaram que não havia demanda para cultura na região”, conta Ciléia Biaggioli, integrante do grupo Teatro de Rocokóz, que atua no território. O espaço foi então ocupado pelo Conselho Tutelar até o ano passado, quando a SMC interviu na situação e solicitou a reforma para que o local viesse a se tornar um equipamento cultural.

Em 2018, a Periferia em Movimento contou as dificuldades de coletivos e agentes culturais de Parelheiros para tocar atividades artísticas na região. Clique aqui para reler.

Sem nenhum espaço cultural até então – assim como Cidade Ademar e Ermelino Matarazzo – e com um CEU que contradiz outras unidades e não tem um anfiteatro, Parelheiros tem mais de 150 mil habitantes e apresenta o segundo pior índice de desenvolvimento humano entre os 96 distritos de São Paulo. Não por acaso, essa ausência do Estado se dá em uma região que tem o maior percentual de população negra do município (56%) e conta com diversas aldeias guarani na terra indígena Tenondé Porã.

Desde 2016, coletivos locais se articulam no Fórum de Cultura de Parelheiros para reivindicar o direito à cultura. A retomada da Casa de Cultura era a principal pauta, com envios semanais de cartas e solicitações de audiência, contato com parlamentares e com a própria Prefeitura.

“Acreditamos que, com a inauguração dessa Casa, os coletivos ganhem força porque é um equipamento que minimamente nos contempla”.

Renan Vitor, da companhia de teatro Os Desconhecidos e do Sarau Resistir é Preciso

“A gente não parou nenhum momento, fizemos cortejos até lá”, conta Cileia. Não por acaso, para este sábado os agentes culturais vão seguir em cortejo até o local. “É muito simbólico porque é o fim de uma caminhada que a gente tem trilhado”, completa Cileia.

Programação

A Casa de Cultura de Parelheiros fica na rua Nazle Mauad Lutfi, 169 – Parque Tamari. A inauguração da Casa de Cultura de Parelheiros conta com percurso de bike, cortejo de artistas, oficinas e apresentações culturais estendidas por três finais de semana. Saiba mais aqui.

Primeiro dia – sábado (04/05)

  • 8h30 – Pedal de ciclistas no Grajaú até Parelheiros – Praça Deputada Idete Vargas – próximo à estação de trem da CPTM. Veja aqui
  • 9h – Concentração dos participantes e organizadores na Praça Júlio César Campos (Praça de Parelheiros)
  • 10h30 – Cortejo de ciclistas e agentes culturais em direção à Casa de Cultura de Parelheiros
  • 11h – Cerimônia de inauguração com as autoridades da Secretaria Municipal de Cultura e da Subprefeitura de Parelheiros
  • 11h30 – Apresentação da Grêmio Recreativo Cultural e Beneficente Escola de Samba “Em Cima da Hora Paulistana”.
  • 11h30 – Manifestações artísticas: • Oficinas de trança, abayomi, turbante, stencil; Feira de artesanato e graffiti ao vivo
  • 12h – Apresentação do grupo “Verdadeiro Sound System”.
  • 15h – Apresentação do espetáculo “Um Show de Variedades Palhacísticas”, com Teatro Rocokóz.
  • 16h – Exposição de fotos em memória da fotógrafa Kal Cordeiro.
  • 18h – Apresentação Sarau Sarauê.

Segundo dia – Domingo (05/05)

Programação do Mês do Hip Hop, com: Querem Letícia, Beto Silva, Image, DJ Vivian Marques, DJ Kiko, Deise Miranda, Apolo, Costa Alves, Diegues, Duzzão, MC Mahiramma, Onga Rupuestre, Pablo Camilo, Rinea BV, MC Rodrigo Nonato, Gueto Organizado, Ponto Crucial, Terceiro Tempo.

Terceiro dia – Sexta-feira (10/05)

  • 14h – Manifestações artísticas:
    • Pintura de rosto e recreação infantil com Palhaça Fofinha;
    • Apresentação do grupo “Verdadeiro Sound System”;
    • Aula de circo com Rocokóz;
    • Aula de dança com o grupo Zumba na Comunidade;
    • Caporimbó Alámos.
  • 16h – Apresentação da peça teatral “Circo Del Fino – El Fino de la Bagaça”, com o Teatro Rocokóz.

Quarto dia – Sábado (11/05)

Em seu quarto dia de inauguração, em 11/05, haverá uma programação com apresentações voltadas para a cultura Hip-Hop que iniciará as 14h com artistas da região de Parelheiros que irão trazer a junção de seus sucessos, falando um pouco sobre a realidade vivida na periferia de São Paulo. Entre eles, estão: DJ Fox, Kamikase, DJ Gordo, Gulliver Brutus, Marginal Padrão

Quinto dia – Domingo (12/05)

  • 17h – Roda de conversa com o grupo Ventre Flor
  • 18h30 – Apresentação teatral do grupo “Rocokóz, com sua peça: “Volta ao Lar”

Sexto dia – Sexta-feira (17/05)

  • 14h – Pintura de rosto e recreação infantil com Palhaça Fofinha
  • 14h – Contação de Histórias “A Semente do Imperador” com o Teatro Rocokóz
  • 16h – Aula de dança com o grupo Zumba na Comunidade
  • 17h – Apresentação do grupo Caporimbó Álamos
  • 18h – Apresentação musical João Pedro “JP” e banda
  • 19h – Apresentação musical Adriano Martins com o show “Ninguém é de Ninguém”
  • 19h30 – Ricardo Rocha.

Sétimo dia – Sábado (18/05)

  • 16h – Aula de dança com o grupo Zumba na Comunidade e Caporimbó Álamos
  • 18h – Apresentação musical Vila do Sossego, Rosa Morena e Fatel Barbosa

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: